• Doença de Chagas, hanseníase, febre amarela, malária… Enfermidades bastante comuns no Brasil há séculos foram reduzidas e até controladas nas últimas décadas. Mas uma delas continua a se expandir e preocupar as autoridades: a leishmaniose.

    Ela é causada por diversas espécies de protozoários do gênero Leishmania, que invadem células de defesa chamadas macrófagos. Mas sua transmissão depende da picada de insetos conhecidos como flebótomo, mosquito-palha ou birigui.

    Estima-se que entre 20 e 25 mil pessoas sejam infectadas todos os anos por aqui — o problema está espalhado por vários estados, mas tem maior incidência em locais como Amazonas, Acre, Pará, Mato Grosso e Bahia. Somos os campeões em números de casos nas Américas, junto com países andinos como o Peru e o Equador.

    Aproximadamente 12% da população brasileira possui o micro-organismo circulando pelo corpo — na maioria das vezes, ele é silencioso e não causa complicações. Mas, às vezes, uma baixa na imunidade pode despertar esse inimigo. “Estamos falando de um quadro amplamente disseminado e em franca expansão”, constata o infectologista Marcelo Simão Ferreira, da Universidade Federal de Uberlândia, em Minas Gerais. O especialista deu uma aula sobre o tema no último Congresso Brasileiro de Infectologia.

    A leishmaniose se manifesta de duas maneiras: por meio de lesões na pele ou em órgãos como o fígado, o baço e a medula óssea. Além de humanos, ela acomete os cachorros — para nossos amigos caninos, há inclusive uma vacina e uma coleira inseticida que acaba com os mosquitos transmissores.

    Mas por que a doença continua a crescer?

    Existem vários motivos para isso. O primeiro é a negligência e a falta de investimentos em pesquisas e campanhas de conscientização. O diagnóstico laboratorial até avançou nos últimos tempos, mas segue com um preço elevado.

    Outro fator que complica esse cenário é a quantidade de espécies causadoras da moléstia — só no Brasil, há uns sete tipos de Leishmania circulando. Definir o agente que está por trás dos sintomas é essencial para determinar a melhor forma de tratamento.

    Entre as atitudes preventivas, é possível pensar em medidas de controle do mosquito, como instalação de telas em portas e janelas de casas em locais com maior número de casos. Repelentes podem ser indicados em algumas situações.

    Por fim, não existe nenhuma droga específica para combater o protozoário. Os médicos lançam mão de quimioterápicos da classe dos antimoniais pentavalentes, utilizados desde a década de 1940. Ainda se discute a necessidade de associar outros fármacos na terapia.

    Para piorar, a leishmaniose costuma aparecer mais frequentemente em pacientes com alguma condição crônica, como a asma e a aids. “Portadores do vírus HIV, aliás, têm um risco de 100 a 2 mil vezes maior de desenvolver a doença quando o protozoário invade o organismo”, completa Ferreira.

    Tags: , , , ,

  • Só de olhar para a barriga não dá para desconfiar, mas ali dentro moram no mínimo 10 trilhões de micro-organismos. Uma população pra lá de numerosa – a título de comparação, em todo o planeta somos, atualmente, 7,3 bilhões de habitantes. A esse universo abrigado no aparelho digestivo deu-se inicialmente o nome de flora intestinal, devidamente rebatizada de microbiota.

    Assim como acontece em nossa sociedade, os bichinhos têm família, nome e sobrenome. E, mais importante de tudo, executam inúmeras funções dentro do corpo. “Nos últimos anos, o número de evidências sobre a influência da microbiota na saúde aumentou muito”, afirma Elisabeth Neumann, professora do Laboratório de Ecologia e Fisiologia de Micro-organismos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

    Essa influência, é bom que se diga, nem sempre é positiva. “O desbalanço nas populações bacterianas está associado a diversas doenças”, conta a nutricionista Adriane Antunes, professora da Faculdade de Ciências Aplicadas da Universidade Estadual de Campinas, a Unicamp.

    Uma equação bem simples denota essa quebra de equilíbrio: os micróbios potencialmente nocivos, que também habitam o intestino, se multiplicam a ponto de se sobrepor no jogo de influências sobre os bichinhos benfeitores. Uma das maneiras de evitar que isso aconteça ou reverter a situação é investir nos probióticos, bactérias reconhecidamente benéficas e que podem ser encontradas em iogurtes, leites fermentados, queijos, além de cápsulas e sachês.

    De acordo com Yasumi Osawa, farmacêutica da Yakult, empresa pioneira nas pesquisas sobre o tema, doses adequadas desses seres microscópicos ajudam a repovoar a microbiota, dessa vez com indivíduos de boa índole. Para mantê-los em forma e garantir sua colonização, também entram em cena os prebióticos, fibras que não conseguimos digerir. “Elas servem de alimento para os probióticos”, explica Yasumi.

    As relações e os banquetes travados dentro da barriga e seus reflexos no corpo vêm ganhando tanta importância que demandam um evento científico próprio, o Congresso Brasileiro de Pre, Pro e Simbióticos, o PreProSim. Realizado em junho, junto ao Ganepão, uma das conferências de nutrição mais relevantes do país, o evento não deixou dúvidas de que precisamos conhecer e valorizar o trabalho dessas bactérias. Abaixo, você vai ver como elas repercutem na imunidade, no coração e até na saúde mental.

    1. Baixa imunidade

    Está aí um efeito clássico dos probióticos: deixar nosso sistema de defesa mais afiado. Segundo Adriane, da Unicamp, a chegada das bactérias no intestino desperta as células de defesa, que, no susto, ainda não têm certeza se os bichinhos são mesmo aliados. “Esse mecanismo mantém o sistema imunológico ativo e mais apto a reagir frente a micro-organismos causadores de doenças”, explica a especialista.

    Há outras ações que contribuem para a blindagem contra agentes infecciosos. A farmacêutica Cristina Bogsan, professora da Universidade de São Paulo (USP), conta que as células de defesa que reconhecem o vírus da gripe passam a viver mais quando o indivíduo toma um probiótico presente em um leite fermentado, por exemplo – por tempo suficiente para passar o inverno numa boa.

    2. Problemas intestinais

    Considerando que 70% da microbiota fica na região do intestino, é natural que vejamos um impacto direto ali. “Atualmente, os probióticos e os simbióticos fazem parte do tratamento da constipação”, exemplifica o médico Dan Waitzberg, professor da USP e presidente do Ganepão.

    Há bactérias, como a Bifidobacterium animalis, presentes em determinados iogurtes, que incitam os movimentos peristálticos. São eles que fazem as fezes caminharem adiante. “O bolo fecal é transportado, mas não se liquefaz. É por isso que não há diarreia”, tranquiliza Cristina. Por falar nisso, Waitzberg lembra que os probióticos também são úteis frente ao popular intestino solto. Estudos apontam que certas bactérias reduzem o tempo de diarreia bem como as visitas ao banheiro.

    3. Obesidade

    Faz tempo que os cientistas sabem que a microbiota de um indivíduo obeso é diferente da de alguém com peso saudável. E um micro-organismo que marca presença em pessoas esbeltas tem animado a turma da pesquisa, a Akkermansia muciniphila. Durante palestra no PreProSim, a nutricionista Priscila Sala, do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, contou que a bactéria diminuiu de 40 a 50% o ganho de massa corporal entre cobaias.

    “Em experimentos, seu efeito foi preservado mesmo quando ela foi aquecida a 70 °C”, diz. Um grande diferencial, pois os alimentos com probióticos hoje são refrigerados para garantir a sobrevivência das bactérias. Enquanto a Akkermansia não chega ao mercado, invista em frutas vermelhas, cebola, chocolate e castanhas, que criam condições para o bichinho prosperar.

    4. Doenças bucais

    Aqui, dá para contar com duas formas de atuação. Uma é indireta: quando os probióticos chegam ao intestino, minimizam inflamações, o que melhora o estado de gengiva e adjacências. Mas a cavidade oral tem sua própria microbiota. Daí por que algumas bactérias têm impacto direto (e local) em encrencas como cárie e periodontite.

    Em estudos, o dentista Michel Messora, na Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da USP, notou que associar o tratamento-padrão da periodontite a suplementos de probióticos melhorou a resposta dos pacientes à intervenção. “Além disso, caiu o risco de retorno da doença”, destaca Messora. Para prevenir o problema capaz de derrubar os dentes, ele diz que dá para apostar em iogurtes e leites fermentados – desde que tenham baixo teor de açúcar.

    5. Colesterol e pressão

    Nesses assuntos que afligem o coração, os achados são incipientes, porém empolgantes. A farmacêutica Elisabeth, da UFMG, revela que algumas linhagens dos gêneros Lactobacillus e Bifidobacterium seriam capazes de assimilar o colesterol no intestino. “Isso reduziria os níveis disponíveis para a absorção pelo corpo”, ensina. Mas ela diz que são necessários mais estudos para confirmar esse desfecho.

    Outros testes demonstram que certas bactérias têm a habilidade de induzir a produção de substâncias que regulam a pressão arterial, outro fator de risco ao coração. “Mas não podemos sonhar em resolver um problema dessa magnitude só com o uso desses micro-organismos”, ressalta Elisabeth. “Nenhum pre ou probiótico deve ser encarado como substituto da medicação”, enfatiza Cristina, da USP.

    6. Chateações íntimas

    Candidíase e vaginose respondem por quase 90% dos incômodos mais comuns nas mulheres em idade reprodutiva. O pior é que tendem a ser recorrentes. “E os antibióticos e antifúngicos andam menos eficazes”, observa José Maria Soares Junior, vice-chefe do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia do Hospital das Clínicas de São Paulo.

    Um jeito de driblar essa resistência é botar os probióticos em jogo. “Ao ingeri-los por meio de suplementos, dá para mudar a flora intestinal e, assim, colonizar beneficamente a vagina”, descreve o médico. Daí os micro-organismos prejudiciais não acham brecha para se proliferar. Segundo Soares Junior, os alimentos probióticos até auxiliariam na prevenção. “Mas não adianta fumar, ser sedentária e descuidar do resto da dieta. Tudo isso afeta a microbiota”, alerta o ginecologista.

    7. Irritações de pele

    Ter um intestino regulado – com a forcinha dos probióticos – também deixa a cútis mais viçosa. “É que as toxinas que interferem na barreira hídrica da pele, por exemplo, acabam eliminadas”, informa Yasumi, da Yakult. Com isso, há menos espaço para rugas, pele seca… Mas as bactérias do bem têm outros trunfos na área dermatológica. Existem cepas, já disponíveis em sachês para serem tomados, que combatem a dermatite atópica.

    Os probióticos, nesse caso, ajudam a conter o processo inflamatório que leva a lesões na pele. Nessa mesma linha, segundo novos estudos, algumas bactérias ainda bateriam de frente com a acne. Para tirar proveito desses efeitos, o conselho é manter uma ingestão de probióticos frequente. Caso contrário, a microbiota volta ao seu estado natural, programado lá no início da vida. Mas é provável que, em breve, tenhamos cremes com essas bactérias.

    8. Câncer

    Especula-se que prevenir a disbiose – ou seja, o domínio das bactérias ruins na flora intestinal – diminuiria o risco de tumores, particularmente os colorretais. “É que teríamos menos inflamação ali, o que, com os anos, pode predispor à doença”, conta a nutricionista Thaís Manfrinato Miola, do A.C.Camargo Cancer Center, em São Paulo. Nesse aspecto, uma dieta equilibrada contendo alimentos com probióticos seria bem-vinda.

    Hoje, na prática, também se vê a indicação das bactérias boas durante o tratamento do tumor. Ao indicá-las a pacientes cirúrgicos, o médico Antonio Carlos Ligocki Campos, da Universidade Federal do Paraná, viu menos complicações infecciosas, além de menor uso de antibióticos e tempo de internação. Segundo Thaís, a medida também se mostra útil para aplacar reações adversas da quimio e radioterapia.

    9. Estresse e ansiedade

    Ninguém duvida que existe uma conexão direta entre intestino e cérebro. Por isso, há uma tendência em ligar os probióticos a impactos no sistema nervoso. “Algumas bactérias produzem moléculas precursoras de serotonina e estimulam a liberação de gaba”, exemplifica Cristina, da USP. Complicou? “Trata-se de neurotransmissores associados ao controle da ansiedade e à sensação de felicidade”, traduz.

    Ela frisa, porém, que os estudos estão caminhando para confirmar tais efeitos. Ainda se debate o papel dos probióticos frente a Alzheimer, Parkinson e depressão, além de desordens que afetam outras áreas do organismo. “Há um universo ilimitado de possibilidades”, diz Elisabeth, da UFMG. Mas não espere para mimar seus hóspedes. Eles retribuirão deixando a casa – ou seja, seu corpo – em ordem.

    Quem é quem nessa comunidade microscópica

    Probióticos
    São as bactérias bacanas, que só agem quando ingeridas na dose certa. Cada tipo (ou cepa) tem uma função específica.

    Prebióticos
    É assim que se definem certas fibras que alimentam os probióticos. Estão na cebola, no alho, na banana verde etc.

    Simbióticos
    Essas formulações já apresentam, numa tacada só, os benditos probióticos e seus alimentos, os prebióticos.

    Posbióticos
    Trata-se de substâncias liberadas pelos probióticos que podem ser acrescidas a produtos a fim de gerar vantagens.

    Parabióticos
    São os probióticos inativos, ou seja, mortos. Mesmo assim, eles conseguem atuar positivamente no organismo.

    Quando as bactérias aparecem?

    Ao contrário do que já se imaginou, hoje sabemos que o bebê não vem ao mundo sem uma microbiota. Mas esse conjunto de micro-organismos passa a se formar pra valer no nascimento. Por isso os louros vão para o parto normal, que permite a transferência das bactérias da mãe para o filho.

    O aleitamento materno é outro fator bem-vindo, enquanto o abuso de antibióticos não deixa a vizinhança tão amigável. Levar esses pontos em conta é essencial, porque a microbiota que carregamos pelo resto da vida se estabelece até uns 3 anos.

    Vale a pena investir em versões manipuladas?

    Em palestra durante o PreProSim, o médico Dan Waitzberg, da USP, frisou que as fórmulas de manipulação ainda não são as melhores opções para tirar proveito dos micro-organismos probióticos. “Não dá para saber de onde eles vieram”, justifica. Fora que os bichinhos podem se transformar em condições fora de controle, o que alteraria seu comportamento dentro do corpo.

    Segundo o expert, a junção de bactérias também requer bastante cautela. Não é porque são bacanas individualmente que serão excelentes em parceria. “Fazer misturas sem conhecer bem o assunto é feitiçaria, não medicina”, declara Waitzberg. Os itens industrializados seriam escolhas mais apropriadas, porque há laudos garantindo sua segurança. Mas, claro, o médico deve conhecer as bactérias minuciosamente, já que cada tipo tem uma função específica.

    Onde encontrar os probióticos

    Atualmente

    Iogurtes: alguns deles contam com as bactérias boas – e possuem diversos sabores.

    Leite fermentado: o mercado já conta com versões para adultos e até com menos açúcar.

    Cápsulas: além de protegerem bem as bactérias, são superfáceis de transportar.

    Sachês: o nitrogênio mantém os bichinhos vivos. É só dissolver o pó na água ou ingerir direto.

    Futuramente

    Sorvetes: pode comemorar: a guloseima garantiria a viabilidade dos probióticos.

    Chocolates: estudos já mostraram que ele também é ótima morada para bactérias do bem.

    Sucos: a acidez torna um desafio ter probióticos neles. Mas é uma forte possibilidade.

    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , ,

  • foto-imagem-planta-combate-estrias

    Nativo do cerrado brasileiro, o barbatimão já era conhecido pelo seu alto poder cicatrizante. “Por ser adstringente, ele causa uma tensão e aproxima as bordas das feridas na pele. Como a estria é um machucado interno, o uso da planta é benéfico nesse contexto”, explica o farmacêutico Guilherme Monteiro, que desenvolveu uma pomada com essa indicação pelo Ateliê Saúde Fitoterapia.

    O produto, que já está à venda, foi avaliado em pesquisa com 31 mulheres de 18 a 65 anos. Com um mês de uso, mais de 60% delas relataram melhora na quantidade e na textura das estrias e apontaram resultados positivos no aspecto geral das marcas.

    Aliás, um estudo publicado na Revista Brasileira de Medicina avaliou o efeito do barbatimão (por meio de outra pomada) na cicatrização. Todas as lesões tiveram redução de pelo menos 30% da área inicial já na primeira semana de uso, o que foi considerado bastante vantajoso.
    Como tratar e como evitar estrias

    Hidratantes

    Não existe uma loção milagrosa capaz de apagar as estrias, mas se sabe que manter a pele hidratada ajuda a impedir sua formação.

    Óleos

    Eles complementam o efeito dos hidratantes. Aposte em opções como o de semente de uva e o de amêndoas, e use depois do banho.

    Colágeno

    Essa proteína, que confere elasticidade e firmeza à pele, é uma boa pedida contra as estrias. Pode ser encontrada em pó, cápsulas e bebidas.

    Peso

    Procure evitar o ganho de peso ou o efeito sanfona. Isso faz a pele esticar muito rápido, o que favorece o aparecimento de estrias.

    Tags: , , , , , ,

  • foto-imagem-manteiga
    A dica ganhou credibilidade depois que o diretor geral de saúde pública da Prússia Friedrich Von Esmarch a recomendou no seu influente manual de medicina de guerra do século 19.

    A ideia era selar a queimadura para que não entrasse em contato com ar ou sujeiras e, assim, previnir infecções e acelerar a cura.

    É preciso reconhecer a importancia de Von Esmarch, que ficou reconhecido por introduzir o conceito de primeiros socorros, mas será que ele tinha razão sobre sua teoria de curar queimaduras com manteiga?

    Rãs e mel
    Há muitos mitos em torno dos remédios caseiros usados para tratar queimaduras.

    Um papiro egípcio que data de 1.500 a.C. descreve o uso de barro, excrementos de animais e até de rãs banhadas com azeite. No século 4 a.C., os gregos preferiam gordura de porco, enquanto os romanos usavam uma mistura de mel e farelos, seguida de pedaços de cortiça e cinzas.

    Mais recentemente, cirugiões de um hospital na Grã-Bretanha notaram que várias de crianças com queimaduras chegavam com roupas ainda no corpo, apesar de a primeira recomendação ser de tirá-las imediamente para não grudarem na pele.

    Isso levou os médicos a investigarem as crenças de um grupo de pais a respeito de queimaduras. Em um estudo, eles pediram que respondessem o que fariam para socorrer um menino de dois anos que acabara de derramar uma panela de água quente sobre o corpo.

    Apenas 10% dos entrevistados deram uma resposta considerada ideal e alguns sugeriram remédios que não funcionam, como manteiga, leite, azeite de cozinha e pasta de dente.

    Uma pesquisa realizada na Turquia concluiu que apenas 25% das pessoas colocariam água fria sobre queimaduras, que é recomendação correta, enquanto a metade sugeriu soluções erradas, como iogurte, pasta de dente, extrato de tomate, gelo, clara de ovo crua, entre outras.

    Especialistas esclarecem que o aparente alívio proporcionado por essas substâncias frias não dura e pode, inclusive, selar a queimadura, impedido a saída do calor. Assim, a pele continua queimando por dentro.

    Como as queimaduras superficiais acabam curando sozinhas, assumimos erroneamente que essas receitas funcionaram, quando, na verdade, a queimadura teria melhorado de qualquer jeito.

    Procedimento correto
    As orientações de primeiros socorros para queimaduras variam de país para país, mas no geral, o conselho é: após remover roupas e todos os acessórios, como colares, relógios e anéis, abra a torneira e deixe água fria cair sobre a queimadura por pelo menos 20 minutos.

    A água fria ajuda a adormecer a área afetada ao esfriá-la e, além disso, evita que a pele continue queimando. Também parece ajudar na cura da queimadura, apesar de alguns especialistas ainda debatarem como isso é possível.

    Há quem acredite que gelo é um santo remédio, mas o frio extremo pode prejudicar ainda mais o tecido.

    Finalmente, a queimadura deve ser coberta com uma gaze limpa para evitar infecção.

    Quanto à manteiga, o melhor é usá-la no pão, a não ser que seja uma situação muito específica: se uma pessoa for azarada o bastante para ter um acidente com alcatrão quente cainso na pele, uma substância gordurosa como a manteiga pode ajudar na remoção do alcatrão, reduzindo a dor e facilitando o trabalho dos médicos na hora de avaliar a gravidade da queimadura.

    Tags: , , , , , ,

  • Manter a pele bonita e saudável não é tarefa simples, especialmente se ela for oleosa. Os poros dilatados, pele brilhante, às vezes até com presença de cravos e espinhas, não agradam mulher alguma, e podem acabar até com a auto-estima.

    De acordo com a dermatologista Denise Steiner, a pele oleosa é causada pela produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas e atinge entre 80% e 90% das mulheres jovens.

    A herança genética é o principal motivo, porém, outros fatores também contribuem para a pele oleosa: alterações hormonais, excesso de sol, variações climáticas, stress e alimentação inadequada podem influenciar no aumento da atividade das glândulas sebáceas , afirma a dermatologista.Para melhorar a sua pele, o Cyber Diet preparou algumas dicas.

    Limpeza
    Procure não lavar o rosto mais que duas vezes ao dia, e sempre com água fria, para não estimular a produção de sebo. É importante usar sempre sabonetes neutros ou formulados especialmente para sua pele, com bactericista e anti-sépticos , aconselha a dermatologista Denise. A oleosidade da pele é causada pela produção excessiva de sebo pelas glândulas sebáceas e atinge entre 80% e 90% das mulheres jovens À noite, é fundamental que retire a maquiagem com demaquilante sem álcool. É bom que a pessoa faça uma vez por semana uma esfoliação suave , indica.

    Tonificação
    Segundo Denise, usar produtos adstringentes, sem álcool na fórmula, para fechar os poros e equilibrar o pH, acalma e refresca a pele.

    Hidratação
    Procure usar produtos em gel, fluido, loção ou sérum, sem óleo em sua formulação. Produtos com ácidos na formulação podem ser indicados por um dermatologista para ajudar a controlar a oleosidade , diz.

    Proteção
    Alguns hidratantes possuem filtros anti Uva-B em sua composição, que ajudam a retardar o envelhecimento, além de proteger contra os danos causados pelo sol. Caso seu hidratante não tenha filtro solar, é importante utilizar um protetor em forma de gel , aconselha a Denise.

    Maquiagem
    Para a dermatologista, pós-faciais e compactos ressecam a pele e obstruem os poros. Evite.Bases densas podem obstruir os poros, acentuando a oleosidade e causando até acne , afirma. “Uma opção é usar como base um produto matificante, que absorve o óleo da pele, e não a água, proporcionando uma sensação de pele menos oleosa e prolongando a duração da maquiagem”, aconselha. Depois destas dicas, sua pele não será mais a mesma!

    Tags: , , , , , ,

  • O segredo da pele bonita e bem cuidada vai muito além da aplicação de loções e cremes hidratantes. Existem muitos vilões que estão infiltrados na nossa rotina diária e dificilmente são notados. No entanto, eles trazem um prejuízo muito grande para a saúde da pele.

    Dormir mal, se alimentar inadequadamente e tomar sol em excesso são alguns dos fatores que contribuem para o envelhecimento precoce da pele, favorecendo um aspecto de cansaço e descuido. Por isso, além de investir em loções e cremes adequados para cada idade e cada tipo de pele, precisamos combater esses vilões diariamente.

    Para ter uma pele sempre bonita e com um aspecto jovem, conheça melhor quais são os maus hábitos que influenciam diretamente a sua pele e aprenda como lidar com eles. Para ajudar nessa busca por uma pele mais saudável, conversamos com a dermatologista Fabiane Mulinari Brenner, professora de Dermatologia na Universidade Federal do Paraná e integrante do corpo clínico da Cepelle, em Curitiba.

    Uma questão de tempo

    Passar por algumas mudanças nunca é tão simples quanto parece. Contudo, assim como você levou algum tempo para conquistar os hábitos que constituem sua rotina hoje, com um pouco de disciplina e paciência é fácil reverter essa situação.

    É preciso saber que as mudanças não trarão resultados rápidos, mas mesmo assim é importante seguir sua nova rotina diária de cuidados com a pele. Com o tempo, você verá que os bons resultados irão muito além do seu corpo e farão com que você se sinta bem consigo mesma e tenha uma vida mais equilibrada e livre do stress.

    O papel dos radicais livres

    Acordar radiante, com aquele toque aveludado e brilho suave na pele é o sonho de toda mulher. Mas para que isso se torne realidade, é preciso estar atenta desde o momento em que acordamos até a hora de dormir. Os problemas a serem combatidos podem aparecer a qualquer hora do dia e em qualquer estação do ano. Por esse motivo, cuidar da pele é um desafio que deve ser encarado a todo o momento.

    Contudo, é fundamental ressaltar que os radicais livres são grandes responsáveis pelo aspecto da pele. Essas substâncias químicas produzidas naturalmente pelo organismo agem de forma a atacar as células, agredindo e destruindo suas estruturas. A dermatologista Fabiane Mulinari Brenner alerta para o fato de que os radicais livres diminuem a capacidade de cicatrização, levando assim à flacidez e ao envelhecimento da pele.

    Além dos maus hábitos trazerem prejuízos específicos, eles contribuem consideravelmente para a produção de mais radicais livres e assim o ciclo continua. A mudança de hábitos favorece a neutralização dos radicais livres, assim como o uso de cremes com propriedades antirradicais livres – ou antioxidantes – e vitaminas, que agem diretamente sobre a pele e diminuem os efeitos dessas substâncias na superfície cutânea. Assim você estará nutrindo a sua pele e evitando que o envelhecimento chegue antes da hora.

    Os vilões da pele saudável

    Tomar sol sem proteção

    Os raios solares são fundamentais para a nossa saúde. Contudo, isso não significa que devemos nos expor diretamente ao sol por horas e mais horas sem qualquer proteção. O excesso de sol e a falta de cuidados podem acabar trazendo mais prejuízos do que ganhos para a saúde e, principalmente, para a pele. Entre todos os hábitos ruins que adquirimos ao longo da vida, a Dra. Fabiane elege a exposição solar inadequada como um dos piores.

    “O sol traz manchas de envelhecimento precoce, flacidez e rugas, podendo levar ao aumento do câncer de pele, especialmente em peles claras”, ressalta a dermatologista. É importante lembrar que os raios ultravioletas ainda penetram nas camadas epiteliais e atingem as fibras de colágeno e elastina, favorecendo o enfraquecimento da pele. Além disso, pode causar o ressecamento e tornar a pele áspera.

    Para evitar que o sol provoque todos esses danos na sua pele, basta adquirir o hábito de utilizar protetor solar. Em geral, as pessoas não se adéquam ao filtro por acharem que eles deixam um cheiro desagradável ou uma sensação pegajosa no corpo. No entanto, em uma simples consulta com um dermatologista ele pode recomendar um produto que atenda exatamente às suas necessidades e não cause incômodos. Já existe no mercado versões de protetores solar sem cheiro, com fórmulas oil free, com secagem rápida e até mesmo em spray.

    Assim que você escolher a melhor opção para a sua pele, é só se acostumar a aplicá-lo diariamente – mesmo em dias nublados – e, quando precisar se expor ao sol, lembre-se de reaplicar o produto regularmente.

    Cigarro

    Os profissionais de saúde sempre insistem nos malefícios que o cigarro traz para o organismo. Então, quando o assunto é pele, o problema dos fumantes são as rugas. Junto com a exposição solar, a dermatologista Fabiane Mulinari Brenner considera o tabagismo um dos maus hábitos que mais prejudicam a pele.

    Isso porque “o cigarro retarda a capacidade de cicatrização e diminui a produção de colágeno. Em casos crônicos, modifica a cor da pele, aumenta as rugas e pode favorecer o câncer de boca”, informa a Dra. Fabiane. Além disso, o cigarro é um dos grandes desencadeadores da formação de radicais livres, que contribuem para o envelhecimento da pele, deixando a aparência opaca e desvitalizada.

    A saída mais certeira é parar de fumar – ou nem mesmo começar. Além de trazer uma grande melhora para a pele, o restante do seu organismo também será beneficiado com o abandono do cigarro. Para compensar, vale investir em cremes e alimentos ricos em antioxidantes para neutralizar a grande quantidade de radicais presentes no organismo.

    Noites mal dormidas

    Além de causar o aparecimento de olheiras, comprometer o funcionamento adequado do organismo e resultar em um cansaço e mau humor que parecem insuperáveis, dormir mal também pode afetar a saúde da sua pele. O sono é parte fundamental do seu dia, por isso privar-se do descanso noturno causa uma série de incômodos.

    Algumas substâncias químicas presentes no nosso corpo só se metabolizam a noite, então não deixe de tirar as suas seis ou oito horas de descanso diárias. É muito importante que esse sono tenha qualidade, então evite levar seus problemas para cama, assim como os especialistas recomendam que se evite a ingestão de cafeína ou de refeições pesadas, a prática de exercícios intensos e o uso da televisão e do computador logo antes de dormir.

    Comece a desacelerar algumas horas antes de deitar e garanta um sono reparador para poder desfrutar de uma pele impecável e muita disposição pela manhã.

    Alimentação inadequada

    Aquele ditado que diz que nós somos o que comemos se encaixa perfeitamente aqui. Tudo o que comemos se reflete no exterior do nosso corpo, por isso uma alimentação repleta de nutrientes e vitaminas é essencial para ter pele e cabelos radiantes. Para cuidar especialmente da pele, investir em uma dieta que conte com a presença de alimentos ricos em antioxidantes é uma ótima maneira de neutralizar a ação dos radicais livres.

    Abuse dos benefícios das frutas cítricas, frutas vermelhas, saladas, carnes magras e alimentos com fibras. Se tiver dúvidas, consulte um nutricionista e ele certamente indicará as melhores opções para que sua alimentação seja saudável, balanceada e resulte em uma pele impecável.

    Usar cosméticos por conta própria

    Você já deve ter reparado que as prateleiras das lojas especializadas exibem uma imensa quantidade de produtos que prometem atender a todas as necessidades da sua pele. Isso faz algum sentido, mas você também já deve ter ouvido falar de pessoas que tentaram vários cremes diferentes e não conseguiram se adaptar a nenhum deles.

    A pele é um órgão delicado que merece cuidados especiais para estar sempre bonita. Por esse motivo, não vale a pena arriscar fazer experiências com a sua pele. Muitas vezes, o produto que funciona muito bem para sua amiga pode não ser a melhor opção para você.

    Os dermocosméticos para finalidades específicas ainda são produtos que costumam ter um preço mais alto do que cremes e loções comuns encontrados em supermercados e farmácias. Por esse motivo, investir em um produto desses sem saber se o resultado estará de acordo com a sua expectativa pode não ser uma boa ideia.

    Então, a melhor maneira de garantir a beleza e a saúde da sua pele é consultar um dermatologista. O profissional é capacitado para analisar a sua pele e receitar um produto que supra exatamente as suas necessidades. Existe ainda a possibilidade de manipular um produto com as substâncias que você precisa e apenas um médico poderá fazer isso por você.

    Esfoliação excessiva

    Fala-se tanto de esfoliação e outros métodos abrasivos que proporcionam a renovação celular da pele que, muitas vezes, acabamos nos confundindo e achando que a única solução para uma pele impecável está nesse tipo de tratamento. Mas não é bem assim…

    A esfoliação é um método que retira as impurezas que ficam retidas e acumuladas sobre a pele, deixando assim uma sensação mais suave e renovada. No entanto, sua indicação depende de cada tipo de pele. A dermatologista Fabiane Mulinari Brenner sugere que uma esfoliação leve seja feita no máximo duas vezes por semana.

    A especialista lembra que a esfoliação excessiva pode resultar em efeitos indesejados, como o ressecamento ou machucados em peles que apresentam lesões de acne. Se você quiser investir em um tratamento diário, prefira a hidratação. Passar cremes todos os dias só vai garantir que você tenha uma pele cada vez mais bonita e macia.

    Tomar banhos muito quentes

    O jato de água quente caindo nas costas proporciona uma sensação de relaxamento inigualável, principalmente quando as temperaturas estão mais baixas. Porém, enquanto você relaxa, sua pele sofre com o calor excessivo da água.

    Banhos muitos quentes são a melhor receita para o ressecamento da pele. A alta temperatura da água retira a oleosidade natural da pele e estimula a dilatação dos poros. Então, a solução é tomar banhos mornos e preferencialmente mais rápidos, mesmo no inverno.

    Stress

    Controlar o stress é outro fator importante para manter sua pele sempre bonita. Manter sua mente ocupada com preocupações o tempo todo pode elevar os níveis de stress e desregular todo o seu organismo, deixando seu sistema neurológico e imunológico mais suscetíveis.

    Além disso, existem doenças cutâneas que podem se agravar em situações de stress, como a psoríase e a queda de cabelo. Lembre-se que o nervosismo e a ansiedade também podem prejudicar o seu sono e resultar em uma noite mal dormida e uma manhã com cansaço e olheiras.

    Evite essas situações separando os problemas da faculdade ou do trabalho da rotina da casa com seu companheiro e/ou filhos. Para liberar as tensões acumuladas, eleja uma atividade relaxante para ser feita uma ou duas vezes por semana. Vale dar aquela corridinha no parque, fazer uma aula de ioga, treinar um esporte, por em prática alguma habilidade manual ou até marcar um bate papo descontraído com as amigas mais próximas.

    Dormir sem retirar a maquiagem

    Ao chegar em casa depois de uma festa, tudo o queremos é nos livrar do salto e cair na cama, então a limpeza da maquiagem acaba ficando só para o dia seguinte. Contudo, mesmo sendo difícil, retirar a maquiagem antes de dormir é um passo essencial para manter a saúde da pele.

    No entanto, essa atitude que parece inocente é um dos maiores erros que cometemos com a nossa pele. Base, pó, blush e outros produtos obstruem os poros e não permitem que a pele respire adequadamente. A Dra. Fabiane lembra que a maquiagem que permanece sobre a pele ainda pode agravar a acne e facilitar infecções na pele e nos olhos. Além disso, durante a noite nosso organismo passa por processos naturais de regeneração que não ocorrem quando existe o depósito de maquiagem na pele.

    Se a preguiça for tanta que não dá para ir até o banheiro para lavar bem o rosto, tenha sempre por perto os lencinhos demaquilantes. Esses produtos retiram a maquiagem e alguns deles até mesmo hidratam a pele. No entanto, é importante lembrar que eles não dispensam uma boa lavagem com água abundante e um sabonete adequado para o seu tipo de pele.

    Poluição

    Driblar a poluição é praticamente um desafio. Quem vive em grandes cidades não tem como escapar da exposição ao ar sujo, fumaça de escapamentos e outras impurezas que são eliminadas no ar a todo o momento.

    Quando a poluição entra em contato com a pele, os poros são obstruídos, resultando no surgimento de cravos e espinhas e no aumento da oleosidade. A única maneira de combater esses efeitos é investir pesado na limpeza, principalmente do rosto.

    Consulte um dermatologista para escolher um sabonete para o rosto que esteja de acordo com a sua pele e use de manhã e à noite. Para complementar a limpeza, uma loção adstringente pode ser aplicada na pele logo após a lavagem para eliminar a sujeira mais pesada e deixar um ar de frescor.

    Problemas hormonais

    Muitas vezes, sofremos com o aspecto ruim da pele e nem chegamos a desconfiar que a causa do problema possa ser as variações hormonais. Como mulheres, estamos cientes de que a mudança que ocorre com os hormônios em certos períodos da vida – e, mais especificamente, em certos dias do mês – são capazes de alterar o funcionamento normal do organismo e mexer bastante com as emoções.

    O mesmo raciocínio vale para as alterações que sofremos na pele. Mulheres que têm ovário policístico costumam apresentar uma pele mais oleosa – que resulta em espinhas e queda de cabelo –, pois o problema faz com que a presença de hormônios masculinos no corpo seja maior do que o normal. Já aquelas que passam pela menopausa têm que lidar com o ressecamento, o aparecimento de rugas e a falta de brilho na pele, causados pela ausência do estrogênio, o hormônio feminino.

    Para solucionar esses problemas e ficar em dia com a sua pele e seus hormônios, visite seu dermatologista e seu ginecologista. Pílulas anticoncepcionais com dosagens controladas e reposição hormonal são dois tratamentos comuns que podem facilmente eliminar os incômodos, regular os hormônios e, de quebra, deixar sua pele muito mais bonita.

    Espremer cravos e espinhas

    Outra tarefa complicada é resistir à tentação de espremer cravos e espinhas que surgem eventualmente na pele. Mas isso deve ser evitado, pois a acne já representa um tipo de lesão inflamatória que, quando pressionada, pode deixar marcas permanentes na pele.

    Existem ainda aqueles casos em que esprememos a pele, mas a ferida não é eliminada e a insistência pode acabar ocasionando machucados muito piores. Apertar a pele com persistência fere o tecido e o contato com as unhas não higienizadas facilita a proliferação de bactérias e o surgimento de novas inflamações. A dermatologista Fabiane Mulinari Brenner aconselha aguardar a evolução da espinha até que ela seque naturalmente para evitar marcas na pele.

    Se uma espinha estiver causando muito incômodo, a especialista recomenda a aplicação de calor no local – isso pode ser feito durante o banho ou com compressas. E para evitar o aparecimento de cravos e espinhas, siga uma rotina de limpeza profunda com produtos específicos para essa finalidade. Caso sua pele seja muito afetada, a melhor maneira de resolver o problema é procurar um dermatologista que indicará os tratamentos ou os produtos desenvolvidos especialmente para o combate da acne.

    Tags: , , , , , , , , , , , ,


  • Beleza em cápsulas

    Pílulas contendo nutrientes consagram-se como o mais novo fenômeno da beleza e são indicadas por médicos para atenuar rugas, melhorar o viço da pele, combater a celulite e fortalecer unhas e cabelos, entre outros efeitos.

    Nutricosméticos. Já ouviu falar disso? Não adianta buscar no dicionário.

    A rigor, a palavra não existe em português, mas tem sido empregada rotineiramente no balcão da farmácia, nos consultórios e em encontros internacionais de dermatologia para descrever o mais recente fenômeno mundial no campo da beleza. São pílulas multicoloridas que contêm uma associação de vitaminas, minerais, carotenoides e flavonoides, entre outras substâncias, com a missão de combater as carências nutricionais, a oxidação dos tecidos e estimular as funções da pele para restaurar a beleza do corpo e do rosto. “Esse conceito surgiu da necessidade de nutrir internamente a pele, o que nem sempre pode ser feito pelos cremes de forma tópica”, disse à ISTOÉ a dermatologista americana Zoe Draelos, professora de dermatologia da Universidade Duke, nos Estados Unidos. Ela é considerada uma referência mundial nesse tema. Por isso, sua palestra no último encontro da Academia Americana de Dermatologia, realizado no mês passado em San Diego, na Califórnia, estava com lotação esgotada semanas antes do evento. “Só agora estamos entendendo melhor a importância da dieta para uma pele saudável e bonita”, complementou.

    O sinal mais claro da força de atração exercida pelos nutricosméticos é sua crescente expansão no mercado mundial. Em 2010, esses artigos movimentaram US$ 2,4 bilhões, segundo o IMS Health, instituto que registra números e índices do mercado da saúde. E a previsão é de que dentro de cinco anos esse montante duplique, atingindo a marca dos US$ 4,24 bilhões em 2017, de acordo com a Global Industry Analysts, outra empresa de dados de mercado. No Brasil, os produtos pertencem à categoria dos suplementos alimentares, um setor estimado em US$ 400 milhões, segundo a Euromonitor International, empresa que acompanha a evolução do segmento. Por enquanto, os chamados cosméticos orais representam US$ 13 milhões desse volume total de vendas. “Mas há um longo caminho a ser conquistado pelos nutricosméticos no Brasil”, observa a analista Carrie Leonard, do Euromonitor International. A líder do mercado no País foi a L’Oréal, com sua marca Innéov. Neste ano, ela terá que concorrer com a Sanofi-Aventis, que adquiriu as cápsulas Oenobiol, e a Pfizer, que comprou o laboratório Ferrosan e a sua pílula Imedeen. Dados divulgados pelo IMS Health dão uma ideia de como será essa multiplicação de mercado. Segundo a agência, a estimativa de crescimento do setor por aqui é de 220% até 2015. “O Brasil é um excelente mercado”, diz Délio de Oliveira, diretor-geral da Divisão Cosmética Ativa da L’Oréal, empresa que tem centros de pesquisa voltados para a criação dessas pílulas.

    Os números são expressivos, mas a questão central é o que realmente se pode esperar desses comprimidos. Boa parte dos especialistas considera os nutricosméticos um recurso interessante. “Trata-se de um conceito de beleza de dentro para fora, que associa a boa condição da pele com a saúde”, afirma a dermatologista Mônica Aribi, de São Paulo. “É um avanço”, diz. Ela indica os produtos a uma clientela mais predisposta a aceitar novas soluções para melhorar a aparência.


    CAUTELA
    A dermatologista Mônica Aribi indica os produtos se houver carência de nutrientes

    Mas os nutricosméticos seriam, de fato, diferentes dos já bem conhecidos suplementos vitamínicos ou representam apenas uma roupinha nova para uma ideia antiga? “Em geral, eles oferecem minerais e vitaminas em uma forma química que permite a melhor absorção pelo organismo”, diz a nutricionista, farmacêutica e bioquímica Lucyanna Kalluf, do Instituto de Prevenção Personalizada, em São Paulo. “Muitas vezes, os suplementos contêm vitaminas e minerais em um formato de metabolização mais difícil, e por isso muito se perde”, complementa a especialista. Ela costuma indicar também outros minerais e fitoterápicos para complementar o tratamento. “Prefiro selecionar os nutrientes de forma mais personalizada”, explica.

    A maioria dos nutricosméticos possui em sua composição as chamadas substâncias antioxidantes. São compostos como as vitaminas A, C e E, o licopeno (presente no tomate em maior quantidade), os bioflavonoides (encontrados nas frutas cítricas e uvas escuras), as catequinas (presentes no chá-verde, e em frutas como uvas e morango, entre outras), o ácido fenólico (está no brócolis, na cenoura e nos grãos integrais) e a quercetina (nas cascas das uvas e nos vinhos). Na literatura científica, eles aparecem como recursos capazes de prevenir o envelhecimento precoce das células por meio de um mecanismo razoavelmente complexo. “Eles combatem a oxidação dos tecidos, o que leva ao envelhecimento”, resume a dermatologista Mônica Aribi.

    A oxidação é atribuída aos radicais livres, moléculas que se formam por uma reação natural do organismo ao processo de queima do oxigênio pelas células. Como são instáveis, rapidamente se associam às moléculas próximas, o que pode levar a danos em células sadias. Em 99% dos casos, o corpo repara esses estragos. Mas, se a produção de radicais livres aumentar muito, incentivada por doenças, alimentação ruim, radiação ultravioleta do sol ou fumo, entre outros agressores, fica difícil neutralizar as consequências de seu acúmulo – manchas na pele, rugas, falta de hidratação, entre outras. Aí é que entram em cena as doses adicionais de substâncias antioxidantes: “As vitaminas, minerais como o selênio e compostos como o licopeno, entre outros com funções antioxidantes, se ligam aos radicais livres, anulando sua ação”, explica Lucyanna.

    Xícara de nutrientes

    Há um ano, convencido dos poderes dos antioxidantes, Marco Collovati, 47 anos, incorporou o chá-verde ao café da manhã. “O comentário geral é que minha aparência melhorou. E eu me sinto mais disposto”, diz o cirurgião e CEO da Orangelife, empresa de biotecnologia e inovação sediada no Rio de Janeiro.

    Até agora, no entanto, ainda não são definitivos os trabalhos científicos para comprovar a ação dos produtos que contêm substâncias do gênero. “Existem estudos em ciência básica de excelente qualidade metodológica, mas há pouquíssimos trabalhos em seres humanos feitos com grupos para comparação. Isso é necessário para demonstrar a real eficácia”, diz Ediléia Bagatin, pesquisadora e especialista em cosmiatria, da Universidade Federal de São Paulo. “E é fundamental que sejam realizadas pesquisas independentes, que não sejam financiadas pelos fabricantes, evitando-se o conflito de interesses, para se chegar a alguma conclusão”, afirma.

    Além disso, os cientistas estão se deparando com desafios científicos para apurar a intensidade do desempenho desses produtos. “Ainda não temos bons métodos para avaliar a presença e a redução dos radicais livres na pele humana”, afirma a especialista Zoe Draelos.
    Para embasar suas indicações, os dermatologistas que recomendam esses produtos associam as evidências oferecidas pelos estudos disponíveis às suas observações feitas em consultório. “Há cápsulas que ajudam, por exemplo, a estabilizar a flora da pele, o que auxilia o combate à dermatite. Os efeitos são maravilhosos”, diz a dermatologista Mônica Aribi, que também aposta nos protetores solares. “São muito bons para pessoas com manchas na pele resistentes aos tratamentos, como os melasmas.” Ela adverte que tomar essas substâncias por via oral para atenuar o fotoenvelhecimento não dispensa a aplicação do filtro sobre a pele. “O filtro bloqueia a ação dos raios, o nutricosmético reduz o ataque dos radicais livres”, diz.

    Com a expansão dos nutricosméticos, cresce também entre os médicos a preocupação em alertar para aspectos que não podem ser ignorados. “Os efeitos só começam a aparecer depois de pelo menos três meses de uso regular”, esclarece a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo. Além disso, é sabido entre os especialistas que esses produtos só agem se a pessoa apresentar uma deficiência nutricional. Num padrão ideal, os antioxidantes que o organismo requer para a batalha contra os radicais livres seriam fornecidos por uma dieta equilibrada. “Mas é muito difícil obter tudo o que precisamos da alimentação”, afirma a nutricionista funcional Patrícia Davidson, do Rio de Janeiro.

    Mudança radical

    Há quatro meses, Felipe Marini, 32 anos, e a esposa, Marcella, substituíram as frituras, os enlatados e os alimentos refinados por produtos integrais, frutas e legumes frescos. “A mudança desinflamou os pontos de acne do meu rosto”, diz ele, de cara limpa. A pele de Marcella também ganhou mais vigor”, conta Felipe.

    Um erro comum no consumo desses produtos é ignorar as contra-indicações. “É essencial averiguar se o paciente é alérgico a algum alimento”, orienta a dermatologista Juliana Neiva, do Rio de Janeiro. “Há cápsulas que contêm ômega 3 e componentes tirados de frutos do mar aos quais algumas pessoas são alérgicas”, diz. Os produtos da linha Imedeen, por exemplo, trazem um composto de proteínas de origem marinha. A dermatologista Adriana Vilarinho, de São Paulo, diz que também é indispensável conhecer o perfil da saúde do paciente e saber se é diabético, por exemplo. “Há açúcares contidos no material de algumas cápsulas que podem causar alterações nas taxas de glicemia no sangue. Isso precisa ser considerado.”

    É verdade. Tomar os cosméticos orais por conta própria é uma conduta criticada por médicos e nutricionistas. “Há muitos casos de pessoas que recorrem a mais de um suplemento ao mesmo tempo porque querem tratar a celulite e o cabelo. Isso pode ter efeitos indesejados”, alerta a dermatologista Adriana Vilarinho.

    É por essa razão que nos consultórios mais estrelados de São Paulo e do Rio de Janeiro, por exemplo, a indicação de um nutricosmético passa por várias etapas. “É preciso descartar causas de queda de cabelo como doenças e carências de minerais como o ferro, que não estão presentes nessas fórmulas”, diz a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo. A nutricionista Lucyanna Kalluf também não dispensa exames para avaliar quais são realmente os minerais em carência. “Não se pode indicar cápsulas de nutricosméticos sem solicitar um teste de sangue para saber do que e de quanto o paciente precisa”, diz ela.

    Nova dose

    A paulistana Andrea Francesca Calabrese, 47 anos, costuma ir ao dermatologista em busca de soluções para fortalecer os cabelos. “Experimentei os cosméticos orais para cabelos gostei. Usei três meses, fiz um intervalo e agora vou usar de novo. Os fios ficam mais fortes”, diz ela.

    Esses cuidados são importantes também para evitar a ingestão excessiva de vitaminas e minerais. “Quem ingere vitamina A demais, por exemplo, por alimentação ou suplementação, pode ter sintomas como pele seca, áspera e descamativa, dores de cabeça e náuseas”, diz a especialista Lucyanna.

    Também é preciso ter em mente, quando se recorre aos nutricosméticos, que eles são parte de um tratamento mais amplo. Não realizam milagres sozinhos. Por isso, não se pode esperar que apenas uma pílula acabe com as rugas do rosto ou faça desaparecer os furinhos da celulite. “A celulite, por exemplo, é causada por diversos fatores. Quem se decide a enfrentá-la precisa também modificar diversos padrões. O nutricosmético será mais um item. Senão, não vai adiantar nada”, explica a dermatologista Carolina. No tratamento de linhas de expressão, é o mesmo processo. Os produtos não substituem o creme anti-idade. “Mas potencializam seu efeito”, afirma a farmacêutica carioca Talita Pizza, que defendeu tese de mestrado sobre os nutricosméticos na Universidade de São Paulo.

    Atentos ao interesse manifestado por esses produtos, pesquisadores da Universidade de Saint Andrews, no Reino Unido, estão aproveitando a onda para incentivar o consumo de nutrientes in natura. Recentemente, eles publicaram um estudo na revista “American Journal of Public Health” comprovando que comer mais frutas e vegetais pode mudar o tom da pele, dando-lhe mais brilho. “Nossa mais recente pesquisa constata que as melhorias na dieta produzem benefícios visíveis para a pele”, disse Ross Whitehead, autor do estudo que envolveu 35 estudantes, acompanhados por seis semanas. “As pessoas que comem mais frutas e verduras têm um tom dourado na pele que dá uma aparência mais saudável e atraente”, complementou. A grande sacada desses pesquisadores, porém, é que a vaidade pode ser um excelente motivador para melhorar a nutrição. O estudo acabou estimulando o grupo a seguir uma alimentação mais saudável.

    Pesquisa

    Na L´Oréal, há centros de estudo para criar nutricosméticos

    Ganho duplo

    O bacharel em direito Marcelo Monte, 36 anos, do Rio de Janeiro, começou a perder os cabelos na época da faculdade, no Canadá.

    Depois de muitos tratamentos, foi orientado a tomar nutricosméticos. “Tive mais de um benefício. Além de reduzir a queda e nascerem fios onde não tinha mais, minhas unhas ficaram mais fortes.

    E eu, que as roía desde a faculdade, finalmente abandonei o hábito”, conta.

     

    Opções para o corpo todo

    Confira algumas ofertas disponíveis de cosméticos orais e o que contêm. É consenso entre os médicos, porém, que os produtos não são indicados quando não há carência de nutrientes

     

    PROTEÇÃO SOLAR:

    Imedeen Tan Optimizer : Extrato de palma (precursor da vitamina A), carotenoides, licopeno, vitaminas C e E;

    Innéov Solar: Bactérias lácteas, licopeno e betacaroteno

    SUN Golden Soluction( Nutrilatina):  Betacoteno, vitamina C

    Oenobiol Solaire: Betacaroteno, licopeno, selênio, óleo de borragem

    Heliocare (Helioral no Brasil): Fernblock (extrato de planta Polypodium leucotomos), extrato de chá-verde e betacaroteno

    Observações 01: Possuem ativos para reforçar as defesas cutâneas contra os raios ultravioleta, como diminuir a perda de água da pele e combater os radicais livres. O uso de qualquer um deles não dispensa as aplicações de filtro solar

    Observações 02: Age de forma diferente. Segundo os especialistas, evita a formação de radicais livres e aumenta a tolerância da pele ao sol. Como interfere na pigmentação, tem sido indicado a pessoas com manchas resistentes no rosto (melasma) e está em teste para vitiligo. Fora do Brasil, a pílula é vendida com o nome de Heliocare.

     

    CABELOS E UNHAS:

    Eximia Temporize: Óleo de linhaça, licopeno, luteína, vitamina E

    Eximia Fortalize: Zinco, biotina, ferro, vitamina A, C e E, ácido fólico e magnésio

    Innéov Homme: Fitoesteróis de pinheiro, taurina, polifenóis extraídos de uva e polifenóis tirados de chá-verde

    Innéov  Massa Capilar: Aminoácido taurina, catequinas do chá-verde e uvas e zinco

    Innéov Nutricare: Óleo de semente de groselha negra, ômega 3 de óleo de peixe, licopeno de tomate, vitaminas C e E

    Oenobiol Magnifique: Biotina, ácido pantotênico e vitaminas A e D

    Pantogar: Pantotenato de cálcio, cistina, nitrato de tiamina, queratina, ácido aminobenzoico

    Vviscal Maximum Strength(importado): Extrato de proteína marinha, extrato de cereja, acerola (Vitamina C) e extrato de cavalinha

    Observações:
    Muitas causas podem determinar a queda de cabelos e unhas fracas. Os nutricosméticos funcionam quando os cabelos e unhas quebradiças são resultado de carência de vitaminas e minerais. Nesse caso, podem ajudar a regenerar tecidos e formar proteínas que fazem parte dessas estruturas. Exames são necessários para identificar se não há falta de ferro, mineral que não está presente nesses suplementos

     

     DERMATITES E CASPA:

    Innéov Sensicaps DS: Lactobacillus paracasei e biotina ( regulam a flora da epiderme)

    Observações:
    Usado para casos de dermatites em geral, principalmente as de origem seborreica e pruridos nas dobras de pele. Estudo clínicos do fabricante indicam redução de 70% da caspa e de 45% na coceira após dois meses de terapia.

     

     RUGAS E REJUVENESCIMENTO:

    Evelle(importado): Vitaminas C e E, zinco, selênio, sílica, proteínas marinhas, extratos de plantas com isoflavonoides, antioxidantes naturais

    Imedeen Time Perfection: Licopeno (do tomate), proteínas marinhas, extrato de semente de uva  e vitamina C

    Imedeen Radiant Complexion: Proteínas marinhas, zinco e vitamina C

    Innéov Fermeté: Licopeno (do tomate), proteína láctea, extrato de soja e vitamina C

    Inverssion Femme: Chá-verde, extrato de uva, óleo de peixe rico em ômega 3, zinco, selênio, cromo e vitamina C

    Oenobiol Magnifique: Vitaminas A, C, D, E, niacina, ácido pantotênico, B6, biotina, cobre, zinco

    Oenobiol Velouté: Ácido gama linolênico, carotenoide, vitaminas C e E

    Oenobiol Radiance: Cobre, carotenoides, ômega 3 e vitaminas C e E

    Renovee Timesoluction: Manganês, zinco e complexo B

    Renovee Antiagesolution Homme: Retinol, tocoferol, vitamina C, cromo, selênio, zinco e licopeno

    Observações: Os produtos Imedeen são contraindicados para pessoas alérgicas a crustáceos e frutos do mar. A marca oferece linhas por faixa etária ( para mulheres até 25 e após 45 anos). O Innéov Fermeté é sugerido a mulheres mais velhas por causa do fitoestrógeno( da soja) e não é recomendável para quem tem histórico familiar de câncer de mama. Todos contêm substâncias antioxidantes e nutrientes envolvidos na produção do colágeno, a proteína que dá sustentação à pele.

     

    CELULITE:

    Innéov Celulitis: Extrato de chá-verde, casca de pinheiro, glucoramina

    Renovee Cellulisolution: Cálcio, cromo, zinco, selênio, vitaminas A, C e E

    Cellu-Lipo: Cálcio, cromo, silício, vitaminas C e E, magnésio

    Observações: A celulite é um problema multifatorial. Sendo assim, o uso das pílulas deve ser encarado como mais um item de um conjunto de medidas. De modo geral, procuram combater a inflamação dos tecidos que acompanha a celulite, estimular a circulação e eliminar a gordura. Ajudam a tratar casos de celulite graus 1 e 2 (os mais leves)

    RETENÇÃO DE LÍQUIDO E EMAGRECIMENTO:

    Renovee Liposoluction: Chá-verde, extratos de guaraná e laranja-anarga, colina, magnésio, cromo, vitamina B6 e ácido fólico

    Renovee Drain Solutions: Vitamina C, complexo B e oligonutrientes

    Observações: Esses suplementos estimulam a eliminação de líquidos corporais e aumentam o número de idas ao banheiro. De modo geral, procuram estimular a circulação, o metabolismo e a eliminação da gordura.

     

    OS INGREDIENTES DA BOA FORMA:

    Conheça os nutrientes indispensáveis para ter pele, cabelos e unhas saudáveis e bonitos, segundo indicam pesquisas científicas e as suas principais fontes. São alimentos que devem estar sempre presentes à sua mesa
    PARA MELHORAR A PELE

    1 – Nutriente: Antocianidinas e resveratrol
    Ação: Antioxidante e antirradicais livres. As sementes de uva ajudam a evitar o envelhecimento precoce da pele
    Onde encontrar: Suco de uva integral e orgânico, vinho tinto, chá-verde e oleaginosas

    2 – Nutriente: Ácido Elágico
    Ação: Desintoxicante, equilibra o PH da pele, antinflamatório (acalma a cútis)
    Onde encontrar: Romã e frutas vermelhas em geral, nozes e castanhas

    3 – Nutriente: Indol 3 Carbinol
    Ação: Favorece a eliminação de toxinas
    Onde encontrar: Brócolis

    4 – Nutriente: Coenzima Q10
    Ação: Ajuda na regeneração celular
    Onde encontrar: Sardinha fresca, salmão, cápsulas

    5 – Nutriente: Selênio
    Ação: Reduz a formação de radicais livres
    Onde encontrar: Castanha do Brasil, nozes, tomate e lentinha

    6 – Nutriente: Silício
    Ação: Regenera e melhora o tônus da pele
    Onde encontrar: Broto de alfafa, beterraba, soja, aveia

    7 – Nutriente: Zinco
    Ação: Diminui o ressecamento e aumenta a resistência da pele, antiacne
    Onde encontrar: Ovo, cereais integrais, banana, castanha-do-pará, amêndoas, nozes, feijões, grão-de-bico, carnes magras

     

    PARA FICAR PROTEGIDO DO SOL

    1 – Nutriente: Polifenóis e flavonoides
    Ação: Elevam a resistência da pele aos efeitos dos raios ultravioleta
    Onde encontrar: Chá-verde, suco de uva, morango, maçã, cebola, brócolis, nozes, cacau

    2 – Nutriente: Antioxidante EGCG
    Ação: Estudos sugerem que o EGCG previne contra os danos dos raios ultravioleta e tem ação anti-inflamatória
    Onde encontrar: Chá-verde, chá-branco

     

    PARA FORTALECER AS UNHAS E MELHORAR O ASPECTO DOS CABELOS

    1 – Nutriente: Vitamina E  e ácido pantotênico
    Ação: Melhoram a viscosidade e diminuem a queda dos fios
    Onde encontrar: Gérmen de trigo, gema de ovo, abacate

    2 – Nutriente: B-Glucana (fibras)
    Ação: Diminui oleosidade e melhora a hidratação
    Onde encontrar: Aveia, feijão-branco, grãos de trigo, grão-de-bico

    PROTEÇÃO CONTRA O CÂNCER DE PELE

    1 – Nutriente: Polifenóis
    Ação: Previnem o envelhecimento precoce e protegem a integridade das estruturas da pele
    Onde encontrar: Chá-verde, brócolis, repolho e couve-flor

    2 – Nutriente: Sulaforano
    Ação: Ajuda a eliminar substâncias nocivas à integridade celular
     Onde encontrar: Brócolis, repolho e couve-flor

    PARA MELHORAR O ASPECTO DA APARÊNCIA DE MODE GERAL

    1 – Nutriente: Ômega 3
    Ação: Anti-inflamatória. Também ajuda no tratamento da acne e dermatites
    Onde encontrar: Atum, salmão, sardinha, arenque

    2 – Nutriente: NuBeta Sitosterol e Ômega 9
    Ação: Anti-inflamatória, auxilia na regeneração e melhora a hidratação
    Onde encontrar: Abacate e azeite de oliva

     

    Tags: , , , , , , ,

  • A pele envelhece junto com o ser humano. Os “fibroblastos“, pequenas ferramentas que produzem o colágeno, chegam aos 30 anos de vida intactos, mas a partir daí começam a envelhecer e vão perdendo a força, produzindo menos colágeno, que é uma substância que dá firmeza à pele. Quando ele diminui, a pele fica mais flácida. É um processo normal da evolução humana, assim como a contração e relaxamento dos músculos da mímica facial, o que deixa a pele enrugada com o tempo.

    Linhas e marcas de expressão podem virar rugas e pregas com o tempo porque os fibroblastos reduzem a produção de colágeno e com isso a pele perde parte da sustentação. A dica dos especialistas para deixar a pele jovem é protegê-la, hidratá-la e limpá-la diariamente. Em casos mais extremos como a cirurgia, é necessário cuidados antes do procedimento.

    Para realizar as operações no rosto, os médicos usam regras matemáticas que se aplicam a qualquer mulher. Veja:
    Lábios: os inferiores devem ser menores. A regra é: lábio superior = 1,6 vezes lábio inferior

    Nariz x olhos: a largura do nariz na altura das narinas deve ser igual à distância entre os olhos

    Nariz x testa: o comprimento do nariz deve ser igual ao comprimento da testa

    Lifting (ritidoplastia)
    É a mais comum cirurgia plástica de fase. Ele levanta as estruturas musculares, agindo no sentido contrário dos vetores do envelhecimento, e produz um efeito generalizado no rosto, porque mexe na musculatura.

    Há diversas formas de realizar o lifting, de acordo com as diferentes regiões do rosto. É possível provocar alterações nos olhos, bochecha, boca, pescoço e queixo. No lifting, você fixa o músculo acima da orelha, sutura e amarra a musculatura.

    Quem decide fazer a cirurgia precisa se preparar bem antes. É preciso fazer hidratação e limpeza de 15 a 20 dias antes da cirurgia para preparar a pele para o procedimento, além de visitar um clínico antes para que ele peça os exames preparatórios. Outro fator que pode prejudicar a cirurgia é o fumo porque o cigarro altera a circulação, então é recomendável eliminá-lo por, pelo menos, três semanas antes do procedimento.

    Após a cirurgia, no mesmo dia, os médicos recomendam compressas com água fria com gases ou toalhas. Não se deve colocar gelo na pele porque há o risco de queimaduras. Além disso, é preciso tomar corretamente antibióticos e analgésicos indicados pelo médico para evitar reações.

    Outra recomendação é evitar tomar sol por dois meses para proteger a pele de manchas e edemas e fazer drenagem linfática de duas a três vezes por semana na região do rosto. O mais importante é o paciente descansar por, no mínimo, dez dias.

    Toxina botulínica
    Quando fazemos expressões com o rosto, movemos um grupo muscular específico e, com o tempo, eles vão ficando vincados e causam as marcas de expressão. Então, a toxina botulínica é injetada no músculo e bloqueia os receptores, fazendo com que as fibras fiquem paralisadas, aliviando a tensão muscular e deixando a expressão facial mais leve e menos marcada.

    Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, não há comprovação científica de que a reaplicação excessiva da toxina botulínica possa trazer danos à saúde. No entanto, por questões de segurança, a entidade recomenda no máximo três aplicações ao ano por pessoa.

    Alguns fatores reduzem a durabilidade da aplicação da toxina butolínica, como antiinflamatórios, aceleradores de metabolismo e estresse. O médico pode aplicar uma dose de complementação da toxina botulínica de duas a quatro semanas depois da primeira, caso o resultado não tenha ficado satisfatório.

    Preenchimento
    É a injeção nos sulcos da pele de uma substância que tem como base o ácido hialurônico, que é fabricado pelo fibroblasto e já existe no corpo humano. Ele estufa e nivela a ruga, deixando a pele mais firme e reduzindo as marcas. O resultado é instantâneo e pode ser visto na mesma hora.

    Creme de semente de trigo
    Feito a base de um agente “tensor” de origem vegetal, extraído das proteínas da semente do trigo, o creme também funciona para “esticar” a pele. Ele provoca um efeito imediato que dura aproximadamente 8 horas ou até o rosto ser lavado. O produto funciona porque cria um filme que estica a pele e diminui a profundidade das rugas, deixando o rosto liso e brilhante.

    É importante alertar as mulheres para não realizarem nenhum destes procedimentos no período da gravidez até 6 meses depois do término da amamentação. A restrição inclui grávidas, lactantes e mulheres que amamentaram recentemente porque as substâncias ou cirurgias podem prejudicar o bebê. Apenas o creme de semente de trigo é liberado.

    Tags: , , , ,

  • Dicas, saúde 28.02.2012 No Comments

    A temporada mais quente do ano pode causar problemas desagradáveis à pele. Veja como agir

    Verão é sinônimo de calor, praia, piscina e vida ao ar livre! No entanto, este é o período em que ocorre o aumento da transpiração e da exposição solar, o que pode causar coceiras, irritações e alergias cutâneas. Alguns casos simples podem ser evitados e até mesmo solucionados com pequenas atitudes, enquanto outros necessitam da orientação do dermatologista. Fique por dentro destes problemas:

    Brotoejas
    Comuns principalmente nas crianças e nos jovens, são causadas pelo excesso de suor que não consegue atravessar a camada mais superficial da derme. “Como a transpiração fica retida, acaba provocando um processo inflamatório. Para prevenir, nos dias quentes o ideal é usar roupas leves, evitar as de tecido sintético, tomar banho com água morna ou fria e passar talco nas regiões que mais transpiram. “O talco absorve a transpiração excessiva”, explica a dermatologista Ligia Kogos, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

    Acne solar
    São aquelas espinhas pequenas e doloridas que surgem principalmente no colo, nos ombros, nas costas e na testa após a longa exposição aos raios solares. “Por pouco tempo o sol age como anti-inflamatório e alivia as acnes. Mas depois de alguns dias ele passa a matar as bactérias protetoras da derme, favorecendo o surgimento das espinhas. “Para se prevenir, use protetor oil free, não exagere na aplicação de hidratantes gordurosos e tome banho com sabonetes antibactericidas”, orienta a médica. Uma boa opção é usar o sabonete Lifebuoy, que conta com o poderoso sistema antibacteriano Active 5 que garante 100% mais proteção contra bactérias.

    Alergia ao sol
    “Superfície ‘empipocada’ por bolinhas vermelhas e uma coceira incontrolável. Estes são sintomas da alergia solar, que costuma aparecer logo após tomar sol, e atinge principalmente as regiões mais expostas, como colo, ombros, tórax e coxas”, explica Ligia. A prevenção não é possível, mas para reduzir a intensidade dos sintomas use protetor com FPS elevado. “Muitas vezes o médico pode indicar o uso de antialérgicos. Mas, de qualquer forma, após dois ou três dias de sol moderado a pele se acostuma e a reação desaparece”, conta a médica.

    Queratose pilar
    Este é um problema comum que, apesar de não ser causado pelo aumento da temperatura, fica evidente no verão, já que nesta época o corpo fica mais exposto e a aspereza cutânea se torna visível. “Ela é causada pelo excesso de queratina nos poros, por onde emerge a penugem que recobre os braços e as coxas”, explica a dermatologista. Quando passamos a mão sobre a região, temos a sensação de aspereza, como se estivesse arrepiada. Em alguns casos, a área pode ficar avermelhada. “Use um sabonete à base de ácido salicílico, com bucha vegetal, e após o banho capriche na aplicação do creme hidratante”, aconselha Ligia. Experimente o Hidratante Dove após o banho e deixe sua pele lisinha, lisinha!

    Tags: , ,


  • As manchas pele correspondem a quaisquer mudanças na cor normal de pele da pessoa e representam um verdadeiro tormento para homens e mulheres de qualquer idade, que buscam uma pele jovem e saudável . Infelizmente ainda não existe uma borracha mágica que simplesmente “apague” as manchas na pele, principalmente as manchas rosto. Exatamente por isso, as manchas pele estão entre as maiores preocupações das mulheres que vão ao dermatologista — ficando atrás apenas da acne e micose. Essa preocupação com as manchas pele é perfeitamente justificada, ja que elas podem aparecer mesmo em pacientes jovens, na faixa dos 20 anos, como manchas castanhas rosto, naqueles pacientes que abusam do sol ( melanoses solares). Garotas jovens que tomam pílula anticoncepcional podem notar o surgimento de manchas que geralmente marcam a maçã do rosto, testa ou buço por causa da ação dos hormônios (os melasmas). E quem nasceu com a pele morena pode perceber, de repente, uma nova mancha escura na pele depois de tomar uma picada de mosquito ou resultante da cicatrização de uma espinha bem inflamada. Até os 25 anos, existe maior homogeneidade da distribuição dos melanócitos, responsáveis pela produção do pigmento na pele. Depois disso, a cor do rosto começa a ficar irregular. Felizmente, a dermatologia estetica encontra-se bastante avançada, oferecendo diversos tratamentos para deixar a pele mais bonita e uniforme.

    Em sua consulta de avaliação, o dermatologista irá avaliar as caracteristicas da mancha apresentada, para determinar o melhor tipo de tratamento do seu caso, que podem incluir cremes, peelings, laser, etc. A formulação de cremes manipulados com substancias despigmentantes , que interferem no mecanismo de regulação da síntese da melanina , geralmente se constituem na primeira opção de tratamento . A formulação do creme dependerá do tipo de pele, profundidade da mancha e outros fatores individuais que são analisados pelo dermatologista em cada caso. Em algumas ocasiões, recebem corticóides para aumentar a eficiência das fórmulas. Os efeitos colaterais são descamação e pele levemente rosada. Eles devem ser aplicados de preferencia à noite. Entre as principais substancias despigmentantes utilizadas pelos dermatologistas temos:

    1. Hidroquinona: Utilizada geralmente na concentração de 2 a 5%, é a substancia despigmentante mais utilizada, e tem a função de inibir a ação da tirosinase, uma enzima envolvida na produção de melanina. A hidroquinona pode ser usada por no máximo 9 meses, pois pode provocar irritação em quem tem pele sensível.

    2. Ácido kójico: Substancia despigmentante derivada do arroz, promove um resultado mais leve. Pode ser associado ao Ácido Glicólico, aumentando seu poder clareador manchas pele.

    3. Clarinskin II: Agente despigmentante extraído do gérmen do trigo que possui uma grande vantagem : é liberado para o uso em gestantes, vantagem raríssima no mundo dos cremes clareadores.

    4. Idebenona: Essa substancia despigmentante possui efeito clareador tão forte quanto o da hidroquinona, porem sem tantas reações adversas.

    5. Cosmocair C250 : Agente despigmentante que equilibra a sintese da melanina e regula a passagem desse melanina para as células da epiderme.

    6. Nano White : Substancia que associa o despigmentante arbutin a outros ingredientes de efeito antioxidante, como as vitaminas C e E e a glutationa.

    < Outra arma da dermatologia estetica bastante eficiente para o combate as manchas no rosto é a realização de um peeling facial. O peeling é um tratamento estético feito por dermatologistas por meio de ácidos e outros cremes manipulados. Durante o processo de peeling ocorre uma destruição da camada superficial, média ou profunda da pele , que sofre uma descamação de suas camadas, eliminando células mortas e dando lugar a uma pele nova , livre de rugas, manchas, acne e outras imperfeições. Entre os agentes quimicos para peeling mais comuns temos : o Ácido Retinóico, o Ácido Salicílico, a Solução de Jessner, o Resorcinol e o Ácido Tricloroacético – TCA. O peeling superficial de ácido glicólico ou retinóico, é o peeling mais utilizado nos consultorios dermatologicos, ja que não interfere com as atividades sociais do paciente ( devido a baixa descamação ) e proporciona excelentes resultados no tratamento manchas pele, quando utilizado de forma seriada ( peelings semanais ou qunzenais ).

    Tags: , ,