Arquivo da tag: substâncias

Alimentos que provocam e os que evitam o problema

foto-imagem-saude-dieta-dor-de-cabeca

Entupir-se de analgésicos não é a melhor saída para a dor de cabeça. A grande sacada é prevenir as crises com ajustes no cardápio. É que as cefaleias tensionais, inclusive a enxaqueca, dão as caras por causa do aumento do diâmetro dos vasos sanguíneos. Resultado: inflamação e dor. E a comida tem muito a ver com isso. Alimentos embutidos – como a salsicha – contêm nitratos e nitritos, substâncias por trás da dilatação. Daí, nos mais suscetíveis, isso é suficiente para desencadear a dor. Já alimentos ricos em substâncias anti-inflamatórias podem ajudar a evitar o incômodo. É o caso dos peixes, como a sardinha e o salmão.

Ajustes no menu

Antes de trocar o seu cardápio, faça uma observação cuidadosa. Anote tudo o que você come e repare nas reações no corpo, que se manifestam de forma individual. Descubra quais alimentos são gatilhos da sua dor de cabeça. Evite ficar muito tempo de barriga vazia. Durante o jejum, as taxas de açúcar no sangue caem, levando à falta de oxigenação e à dilatação dos vasos, o que, no final das contas, provoca esse tipo de dor.

O que deve ser cortado da dieta

Cafeína
Altera a circulação sanguínea. Está presente no café, no refrigerante à base de cola, no guaraná e no chá mate.

Nitritos e nitratos
Dilatam os vasos. São encontrados nas linguiças, nas salsichas, nas carnes, nos molhos prontos e nos alimentos industrializados em geral.

Tiranina
Libera a prostaglandina, hormônio responsável pela sensação de dor. Chocolate, vinho tinto, queijos duros, amendoim, carne defumada e frutas cítricas, entre outros, contêm essa substância.

Fenois, aldeídos e sulfetos
Estreitam os vasos, reduzem os níveis de açúcar no sangue e liberam agentes tóxicos. Estão presentes no vinho tinto e bebidas espumantes e destiladas em geral.

O que deve entrar na alimentação

Gorduras do bem
As do azeite de oliva, da sardinha, do salmão e da anchova agem no controle da dor.

Triptofano
Ajuda a liberar serotonina, que promove bem-estar. Invista em fontes como banana, erva-cidreira, maracujá, pão, arroz integral, feijão e granola.

Anti-histamínicos
Inibem a produção da histamina e da prostaglandina, responsáveis por inflamações e dores. Estão no orégano, no cravo, na canela e no gengibre.

Ração humana usando para perder peso – Anvisa alerta sobre os riscos e perigos no consumo do produto

Sozinho, produto não tem os nutrientes de que uma pessoa precisa.
Uso da expressão nos rótulos será proibido.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta terça-feira (7) uma nota alertando sobre os riscos do consumo de um produto conhecido como “ração humana”. Segundo o órgão, o consumidor é levado a acreditar que, alimentando-se apenas dessa ração, estará ingerindo todos os nutrientes de que precisa, o que não é verdade.

O produto é usado por pessoas que procuram perder peso. Geralmente, é composto por uma mistura de cereais, farinhas e outros ingredientes variados. O consumo de tais substâncias não faz mal, mas não é suficiente para uma alimentação correta. A nota enfatiza que é necessário balancear os alimentos para evitar doenças como a anemia.

O texto recomenda ainda que qualquer pessoa que queira fazer mudanças nos hábitos alimentares procure orientação profissional para garantir a quantidade certa de nutrientes no corpo.

O uso do nome “ração humana” fica proibido em produtos comercializados no Brasil. A Anvisa alega que a expressão “não indica a verdadeira natureza e característica desse alimento” e, por isso, confunde o consumidor.

Antes de incluir no rótulo ou na publicidade alegações de propriedades terapêuticas de produtos alimentícios, o fabricante precisa registrá-los na Anvisa. Testes devem conferir a segurança e a eficácia do produto em relação ao efeito prometido. Quem não cumprir as exigências fica sujeito a multas que podem chegar a R$ 1,5 milhão.

Fonte: G1

Cerveja faz bem a saúde – Tomar um copo da bebida por dia, retarda o envelhecimento

Tomar um copo de cerveja por dia faz bem para a saúde, diz estudo

Pesquisa da Unicamp diz que substâncias presentes na bebida retardam o envelhecimento

A cerveja, bebida alcoólica número um dos brasileiros, pode trazer benefícios para a saúde, mas desde que consumida com moderação.

Um estudo recente feito pela Unicamp (Universidade de Campinas) revela que consumir um copo de cerveja por dia pode ajudar no combate à anemia e até prevenir doenças cardíacas.

A professora de farmácia Helena Godoy, que conduziu a pesquisa, explica que substâncias presentes em alguns dos ingredientes da cerveja, como o malte e o lúpulo, retardam o envelhecimento do organismo e podem trazer a longevidade.

A especialista, no entanto, faz um alerta. Ela lembra que os benefícios só são garantidos quando o consumo não excede os limites. Além disso, afirma que o objetivo de seu estudo não é incentivar o hábito de beber.

– Não quero incentivar quem não toma cerveja. Mas, a quem toma, que tome com moderação e saiba que essa cerveja também pode trazer benefícios.

Outra dica para quem quer ter uma alimentação saudável é o suco de luz do sol. A curiosa novidade, uma mistura de legumes, verduras e frutas, promete benefícios como o emagrecimento e o combate ao mau hálito.

Veja, no vídeo abaixo, os mitos e as verdades para ter hábitos corretos na hora de fazer refeições. Artistas convidados, como a atriz Bruna di Tulio, a Banda Dejavú, o cantor Felipe Dylon e a apresentadora Gianne Albertoni, falaram sobre seus costumes e deram dicas de saúde.

Fonte R7

Álcool, heroína e crack – Qual a droga mais prejudicial a saúde?

Pesquisadores computaram danos causados ao usuário e aos que o cercam.

Um estudo britânico que analisou os danos causados aos usuários de drogas e para as pessoas que os cercam concluiu que o álcool é mais prejudicial do que a heroína ou o crack.

O estudo divulgado na revista científica “Lancet” classifica os danos causados por cada substância em uma escala de 16 pontos.

Os pesquisadores concluíram que a heroína e a anfetamina conhecida como “crystal meth” são mais danosas aos usuários, mas, quando computados também os danos às pessoas em redor do usuário, no topo das substâncias mais nocivas estão, na ordem, o álcool, a heroína e o crack.

O cigarro e a cocaína são considerados igualmente nocivos também quando se leva em conta as pessoas do círculo social dos usuários, segundo os pesquisadores. Drogas como LSD e ecstasy foram classificadas entre as menos danosas.

Apolítica

Um dos autores do estudo é David Nutt, que ocupou o cargo de principal conselheiro do governo britânico para a questão das drogas.

Após deixar o posto, no ano passado, ele formou o Comitê Científico Independente sobre Drogas, instituição que se propõe a investigar o tema de forma apolítica.

O professor Nutt afirma que “considerados os danos totais, o álcool, o crack e a heroína são claramente mais prejudiciais que todas as outras (substâncias)”.

“Nossas conclusões confirmam outros trabalhos que afirmam que a classificação atual das drogas tem pouca relação com as evidências de danos”, diz o estudo.

“Elas também consideram como uma estratégia de saúde pública válida e necessária o combate agressivo aos males do álcool.”

Fonte G1