Arquivo da tag: boa saúde

Capacete que detecta diagnóstico de derrame

foto-imagem-capacete
O dispositivo lança microondas no cérebro para determinar se houve uma hemorragia ou se algum coágulo entupiu uma veia, as duas formas comuns de acidentes vasculares cerebrais (AVC).

Os cientistas das instituições Universidade de Tecnologia Chalmers, Academia Sahlgrenska e Hospital Universitário Sahlgrenska planejam tornar o aparelho disponível para equipes de socorro em ambulâncias.

Já foram feitos testes bem-sucedidos do capacete em fases iniciais do estudo, com 45 pacientes.

A pesquisa teve seus detalhes publicados na revista especializada Transactions on Biomedical Engineering.

Contra o tempo

Quando uma pessoa sofre um derrame, os médicos precisam trabalhar rapidamente para que conter os danos no cérebro.

Se o paciente demorar mais do que quatro horas para chegar ao hospital e começar o tratamento, partes do tecido cerebral poderão morrer.

Mas, para dar o melhor tratamento, os médicos primeiro precisam descobrir se o derrame é causado pela hemorragia em um vaso sanguíneo ou por um vaso sanguíneo bloqueado por um coágulo.

Uma tomografia computadorizada geralmente pode mostrar a causa, mas é preciso algum tempo para marcar um exame destes, mesmo quando o paciente é considerado um caso de urgência em um hospital que tenha o equipamento necessário.

Para acelerar todo o processo, os pesquisadores suecos inventarem o dispositivo portátil que pode ser usado já quando o paciente está sendo levado para o hospital.

[adrotate banner=”2″]Microondas

O capacete usa microondas – as mesmas emitidas por fornos de microondas e telefones celulares, mas muito mais fracas – para elaborar uma imagem do que está acontecendo dentro do cérebro do paciente.

Os testes com um dos primeiros protótipos, que usou um capacete de ciclista adaptado, mostraram que o dispositivo pode distinguir de forma precisa entre hemorragias e coágulos, apesar de não conseguir fazer isto 100% do tempo.

Desde então, os cientistas construíram e testaram um capacete feito sob medida para se encaixar melhor a crânios de formas e tamanhos diferentes, e testaram o dispositivo com a ajuda de enfermeiras e pacientes em um hospital local.

Para o futuro, eles planejam encaixar o capacete em um travesseiro onde o paciente possa apoiar a cabeça. Por enquanto, os cientistas afirmam que o capacete precisa passar por mais testes.

E, segundo os pesquisadores, apesar da rapidez, os médicos precisarão usar também outros exames para diagnosticar um derrame.

“A possibilidade de descartar a hemorragia já na ambulância é um grande avanço que trará muitos benefícios no tratamento de derrame agudo”, disse o pesquisador Mikael Persson.

Tecnologia transformar seu celular em personal trainer

foto-imagem-celular-personal-trainer
Encontrar motivação para praticar atividade física nunca foi tão fácil. A tecnologia ajuda você a agendar treinos, medir desempenho e se motivar a alcançar suas próprias metas.

É possível usar até mesmo aquele celular antigo que você tem na gaveta. Comece acrescentando à agenda os horários em que nada mais interessa a não ser praticar um exercício. Pelo menos 30 minutos por dia fazem toda a diferença para acabar com o sedentarismo e alcançar uma vida mais saudável. Além disso, praticamente todos os celulares possuem cronômetros. É uma opção simples para que você consiga acompanhar o próprio progresso, especialmente em resistência e duração dos treinos. Monte um circuito na sua rua, no parque ou na escola e registre os tempos para medir seu progresso.

[adrotate banner=”2″]Se o seu aparelho permitir, instale aplicativos que acompanham seu percurso com a ajuda do GPS. Além de aproveitar uma música para motivar você, é possível acompanhar informações sobre ritmo da corrida e o total de passos diários (especialistas indicam até 10 mil passos/dia). Quando terminar, terá informações valiosas como tempo, distância percorrida, velocidade média, locais por onde passou e calorias queimadas.

Esses “personal trainers” de bolso ainda podem ajudar a encontrar o ritmo certo para que você não gaste toda a sua energia no começo e desista logo na primeira esquina por causa do cansaço. Outro recurso interessante é que você conseguirá comparar seus resultados de hoje com os de ontem e manter a motivação em alta para fazer ainda melhor amanhã. Quer estimular seus amigos e ganhar companhia no seu percurso? Compartilhe seus resultados nas redes sociais.

Outros aplicativos servem para acompanhar suas refeições. Diariamente, você deve inserir os dados dos alimentos que consumiu e dos exercícios físicos que fez. Dessa maneira, você consegue saber com maior precisão quantas calorias foram consumidas no dia, controlar seu apetite e alcançar seu objetivo.

Remédios contra câncer de pele têm resultados ‘animadores’

foto-imagem-remedios

Resultados de testes internacionais de dois medicamentos contra o câncer de pele em estágio avançado foram considerados ‘animadores e impressionantes’ por cientistas. Os dois tratamentos visam garantir que o sistema imunológico humano reconheça e ataque os tumores.

Os remédios experimentais, chamados pembrolizumab e nivolumab, bloqueiam os caminhos biológicos que o câncer usa para ‘se disfarçar’ e evitar ser percebido pelo sistema imunológico.

As decobertas foram divulgadas na Conferência da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, em Chicago (EUA), que se encerra nesta terça-feira.

Sobrevivência

O melanoma em estágio avançado, um câncer de pele que se espalhou para outros órgãos, é uma doença de tratamento difícil. Até há poucos anos, a taxa de sobrevivência a esta doença era de cerca de seis meses. Em um teste realizado com 411 paciente avaliando o pembrolizumab, 69% dos pacientes sobreviveram por pelo menos um ano.

Cientistas reproduzem em células humanas modificações próprias do câncer

O remédio, que costumava ser chamado de MK-3475, também está sendo testado contra outros tipos de tumores que usam o mesmo mecanismo de bloqueio dos ataques do sistema imunológico. David Chao, oncologista consultor da fundação Royal Free NHS de Londres, está realizando os testes em pacientes com o melanoma e com câncer de pulmão.

— O pembrolizumab parece ter o potencial para ser uma mudança de paradigma na terapia contra o câncer.

Um dos pacientes de Chao, Warwick Steele, de 64 anos, recebeu infusões do pembrolizumab a cada três semanas desde outubro de 2013. Antes de o tratamento começar, ele mal conseguia andar, porque o melanoma havia se espalhado e atingido um dos seus pulmões. Steele começou a ter dificuldades para respirar.

— Eu me cansava simplesmente por ficar em pé e, literalmente, estava exausto demais até para fazer a barba. Mas agora eu me sinto de volta ao normal e posso fazer jardinagem e compras.

Exames em seu pulmões (como mostram as imagens acima) revelam que, depois de apenas três doses, o remédio parece ter removido completamente o câncer do órgão.

[adrotate banner=”2″]Terapia combinada

O outro medicamento, o nivolumab, foi testado em combinação com um outro remédio já existente e licenciado, o ipilimumab. Em teste realizado com 53 pacientes, a taxa de sobrevivência foi de 85% depois de um ano e 79% depois de dois anos.

Novo tratamento erradica câncer de colo de útero em duas pacientes

John Wagstaff, professor de oncologia médica na Faculdade de Medicina de Swansea, na Grã-Bretanha, participa dos testes realizados com os dois medicamentos.

— Estou convencido de que este é um avanço no tratamento do melanoma. O teste ainda está ‘cego’, então ainda não sabemos quais tratamentos os pacientes estão recebendo, mas observei algumas respostas espetaculares.

Para Peter Johnson, chefe clínico da Cancer Research UK, ONG britânica especializada em pesquisa sobre o câncer, é ‘animador ver a variedade de novos tratamentos que estão surgindo para pessoas com melanoma em estágio avançado’. Mas os médicos pedem cautela. Os resultados divulgados ainda estão na chamada Fase 1, o que significa que são testes em estágio inicial.

Os testes mais abrangentes, da Fase 3, ainda estão sendo realizados e envolvem diversos hospitais britânicos. Apenas quando os resultados desses testes estiverem prontos, dentro de cerca de um ano, os médicos poderão ter certeza dos benefícios dos novos tratamentos.

Como acontece com todos os medicamentos, os tratamentos experimentais têm efeitos colaterais. Warwick Steele, por exemplo, relatou que teve suores noturnos e até chegou a sentir uns ‘apagões’ rápidos durante o tratamento. Mas, para Steele, valeu a pena e agora os médicos estão tratando apenas desses sintomas.

Produto é fonte ideal de nutrientes e que alimentos naturais estão obsoletos.

foto-imagem-alimentos

Um americano que alega se alimentar quase exclusivamente de um produto sintético que ele mesmo criou e que diz que os alimentos tradicionais são obsoletos gerou um debate nos Estados Unidos, enfrentando a ira das pessoas defensoras da alimentação natural e orgânica.

Ele alega que seu produto, batizado de Soylent, não apenas substitui os alimentos como é superior a eles.

Trata-se de um pó que, ao ser misturado com água, resulta num líquido bege e levemente adocicado. A quantidade recomendada para um mês (3,5 kg) é vendida a US$ 230 (cerca de R$ 100).

“Ele contém todos os nutrientes necessários para substituir alimentos de forma eficiente e se tornar uma fonte alimentar padrão para toda a humanidade que pode ser produzida sem precisar de agricultura”, diz Rhinehart à BBC Brasil.

[adrotate banner=”2″]

“O alimento natural nem sempre é melhor. Com o tempo, invenções do homem são sempre superiores aos seus correspondentes encontrados na natureza. O Soylent gera menos impacto ambiental que alimentos orgânicos, que exigem grandes quantidades de terra, água e pesticidas, além de muita mão de obra. Assim que conseguirmos provar que ele é mais ecologicamente eficiente e sustentável, aqueles interessados em preservar o planeta ficarão muito felizes com o produto.”

Mesmo sendo alvo de fortes críticas, Rhinehart acha ser apenas uma questão de tempo e da divulgação de informações para que seu produto seja não apenas mais aceito entre consumidores éticos como também promovido por eles.

Alimento futurista

Engenheiro de software formado pelo Instituto de Tecnologia da Geórgia, o inventor diz que sonhava desde criança em encontrar algo que eliminasse a necessidade de preparar e consumir alimentos tradicionais.

Ele conta que ficava vendo sua mãe trabalhar duro na cozinha para alimentar a família de sete pessoas – além dela e de Rhinehart, o pai e mais quatro irmãos – e que isso o motivou a refletir sobre uma alternativa.

“Sempre gostei de comer e nunca fui seletivo com o que comia, mas lembro da trabalheira que minha mãe tinha.”

Outro motivo que levou o engenheiro a desenvolver o produto é sua crença de que comidas convencionais, além de não serem práticas (por consumirem muito tempo de preparo), são primitivas.

Para Rhinehart, precisar de alimentos que vêm da natureza para sobreviver deveria ser algo ultrapassado. “Podemos fazer melhor que isso”, afirma.

Mente de engenheiro

foto-imagem-rob-rhinehartEm janeiro de 2013, Rhinehart colocou sua mente de engenheiro para trabalhar a fim de encontrar uma fórmula que oferecesse o alimento mais otimizado possível para o corpo humano.

Com a colaboração de Xavier Pi-Sunyer, diretor do departamento de nutrição humana da Universidade Columbia, ele desenvolveu seu produto, que tem um nome inspirado no filme de ficção científica “No Mundo de 2020”, de 1973 (chamado “Soylent Green” no título original em inglês), em que a alimentação é fornecida pelas indústrias Soylent devido a escassez de recursos naturais.

Há mais de um ano, 90% da dieta de Rhinehart é exclusivamente composta por Soylent.

O engenheiro garante que nunca se sentiu tão saudável e produtivo e, embora às vezes coma por prazer alimentos como sushi ou churrasco, garante não haver motivos para complementar uma dieta composta exclusivamente pelo substituto alimentar.

Até agora, o nicho do produto é formado pelo público jovem masculino ligado em tecnologia e que não quer perder mais do que poucos minutos por dia para se alimentar. O slogan do produto é Free Your Body (Liberte seu corpo, numa tradução livre).

Inovador?

Apesar do entusiasmo de Rhinehart com sua invenção, a Sociedade Americana para Nutrição (ASN) não acredita que Soylent seja, de fato, a resposta para uma alimentação completa nem algo inovador.

“O Soylent não é diferente de produtos comerciais semelhantes que oferecem uma nutrição completa de forma líquida”, disse Roger Clemens, porta-voz da ASN e professor adjunto de Farmacologia e Ciências Farmacêuticas da Universidade do Sul da Califórnia (USC), à BBC Brasil.

“Mas esses produtos têm vantagens sobre o Soylent. Além de contarem com evidência clínica de segurança e eficácia, já foram aceitos pela comunidade médica, por órgãos regulamentadores e pelo público em geral.”

Por outro lado, a ASN concorda com o argumento de Rhinehart de que produtos naturais não necessariamente são melhores ou mais seguros.

A associação lembra que enlatados, assim como muitas outras tecnologias modernas, oferecem alimentos seguros e acessíveis que são tão nutritivos quanto aqueles recém colhidos da horta.

Antipatia

O Soylent desperta antipatia da parcela crescente da população americana que promove e compra produtos orgânicos em nome de uma uma alimentação natural e livre de ingredientes artificiais.

Cerca de 81% das famílias americanas dizem comprar alimentos orgânicos ao menos algumas vezes, de acordo com um relatório de 2012 da Associação de Comércio Orgânico (OTA, na sigla em inglês).

Esse mercado deve crescer 14% por ano até 2018, segundo a consultoria Research & Markets.

O médico Russell Saunders, colunista de saúde dos sites de notícia Daily Beast e Ordinary Times, diz que não recomendaria Soylent para seus pacientes nem trocaria um bom pedaço de bacon por um copo da bebida.

Saunders diz que, assim como muitos cientistas, teme que Rhinehart esteja inventando seus dados conforme desenvolve o produto e que o inventor não saiba “que está fazendo”.

As críticas mais ferozes vêm dos defensores de alimentos orgânicos e naturais.

Diz o site PricePlow, especializado em suplementos alimentares: “Em 30 anos, vamos estar morrendo de rir desse produto, ainda mais do que rimos hoje. Esses idiotas [do Soylent] vão prejudicar a saúde deles e a dos outros. Se você acha muito difícil fazer comida, é porque está fazendo errado”.

Dedicado a promover “um estilo de vida mais humano”, o site Rapture declarou que o Soylent é a “bebida mais odiada na internet”.

É comum que Rhinehart receba mensagens de pessoas declarando seu ódio ao produto. “Dizem esperar que o Soylent me cause câncer”, diz o inventor.

Nutrição ideal?

Rhinehart garante que o produto é mais barato que alimentos tradicionais, além de ser uma fonte de nutrição ideal.

Um dos seus objetivos é que o Soylent seja consumido em países em desenvolvimento, beneficiando populações menos privilegiadas. Mas a comunidade de nutricionistas não assina embaixo dessas afirmações e promessas.

“Ainda não há uma definição de nutrição ideal. Os novos estudos têm mostrado que isso varia bastante entre cada indivíduo. A idade e a fase da vida em que a pessoa se encontram impactam bastante as necessidades nutricionais”, diz Clemens, da ASN.

Outra desvantagem do produto, segundo o especialista, é que ele elimina a mastigação, um aspecto importante da satisfação alimentar e da disponibilidade de nutrientes já que a capacidade de mastigar alimentos está associada a uma melhor qualidade de vida e saúde.

Ainda de acordo com Clemens, a distribuição de produtos como Soylent em países em desenvolvimento enfrenta desafios logísticos, como acesso a água potável, além de obstáculos relacionados à regulamentação, cultura e tradição locais.

Falta de sono pode provocar perda de neurônios

foto-imagem-homem-dormindoA falta de sono pode ter consequências mais sérias do que se imaginava, como a perda permanente de neurônios, revela um novo estudo feito por cientistas americanos.

Em camundongos, a falta prolongada de sono levou à morte de 25% de certas células do cérebro, destaca a pesquisa, publicada na revista científica The Journal of Neuroscience.

Cientistas responsáveis pelo estudo acreditam que se o resultado for semelhante em humanos, seria inútil tentar ‘compensar’ as horas de sono perdidas.

Eles estimam que um dia será possível desenvolver uma droga para proteger o cérebro dos efeitos negativos das noites mal dormidas.

O estudo analisou ratos de laboratório que foram mantidos acordados para replicar a falta de sono tão característica da vida moderna, ora por turnos de trabalho noturnos ou horas demais passadas no escritório.

Análise

Para conduzir a pesquisa, uma equipe de cientistas da Universidade da Escola de Medicina da Pensilvânia estudou certas células do cérebro que mantêm o cérebro alerta.

Dias depois de seguirem um padrão de sono semelhante àquele dos que normalmente trabalham em turnos noturnos – três dias de jornadas noturnas com apenas quatro a cinco horas de sono durante o dia – o camundongos perderam 25% de seus neurônios, em parte do tronco cerebral.

[adrotate banner=”2″]

Os pesquisadores dizem que essa é a primeira evidência de que a falta de sono pode levar à morte de células do cérebro.

Eles acrescentam, entretanto, que mais pesquisas são necessárias para descobrir se pessoas que dormem pouco correriam maior risco de dano cerebral permanente.

Segundo uma das responsáveis pela pesquisa, Sigrid Veasey, ‘nós temos evidência de que a falta de sono pode levar a uma lesão irreversível’.

‘Isso pode ter acontecido em um animal simples, mas indica que nós precisamos pesquisar melhor esse efeito em humanos’.

Ela afirmou que o próximo passo é fazer um exame post-mortem nos cérebros de pessoas que dormiam pouco para buscar indícios de perda de células cerebrais.

A longo prazo, os cientistas acreditam ser possível desenvolver um medicamento para proteger os neurônios, ao estimular a química natural envolvida na recuperação do sono.

Segundo Hugh Piggins, da Universidade de Manchester, o experimento indica o que pode dar errado no cérebro humano a partir do estudo em ratos.

‘Os autores traçam paralelos com as pessoas que trabalham em turnos à noite e sugerem como a privação crônica de sono pode afetar negativamente não só a saúde física, mas também mental’, disse Piggins.

‘Essa hipótese terá de ser, no entanto, testada com mais pesquisas. No entanto, é consistente com muitos relatos médicos sobre a importância dos ciclos de sono para a melhoria do bem estar.’

Roupa que monitora funções vitais de recém-nascidos

foto-imagem-roupa-que-monitora

Normalmente, eles têm poucos minutos por dia para estar ao lado da criança e vivem uma rotina desgastante, de grande preocupação com a saúde do recém-nascido.

Amenizar este sofrimento foi o objetivo de três italianos – um engenheiro, um médico e uma empresária do ramo têxtil – ao criar uma roupa com tecido especial capaz de monitorar dados cardíacos, respiratórios e de movimentos de bebês.

“Isso possibilita uma terapia fundamental: a do contato da pele da mãe com a do filho”, diz Rinaldo Zanini, diretor da maternidade e coordenador médico da unidade de terapia intensiva neonatal do hospital da Província de Lecco, no norte da Itália, em entrevista à BBC Brasil.

“Ainda temos controle e segurança, mas sem criar uma barreira entre os dois.”

Fios inteligentes

foto-imagem-monitoramento

Os dados captados pela roupa são analisados em tablets, computadores ou celulares

Na verdade, os cabos e sensores ainda estão lá, mas integrados ao tecido. É como se os recém-nascidos “vestissem” os eletrodos.

Feitos de prata, os fios inteligentes são bons condutores de eletricidade. “Isso garante boa qualidade do sinal para o monitoramento”, afirma pesquisador Giuseppe Andreoni, da Universidade Politécnica de Milão.

[adrotate banner=”2″]

Ao mesmo tempo, os fios têm uma textura semelhante à da malha de algodão e propriedades antibacterianas, evitando alergias no bebê.

No protótipo final, os fios inteligentes foram incorporados à costura das mangas. “Assim, temos certeza de que sempre estão em contato com a pele”, explica a empresária Alessia Moltani à BBC Brasil.

Um modem preso à roupa transmite por rede sem fio os dados captados por sensores. As informações podem ser, então, analisadas por computador, tablet ou celular.

Cura e cuidado

Assim, tenta-se conciliar a cura com o cuidado.

O uso do tecido inteligente diminui o impacto psicológico na mãe, que já está sensível pela gravidez encerrada antes da hora.

Também evita uma terapia incômoda, em que os eletrodos presos à pele do bebê devem ser trocados diariamente.

foto-imagem-bebe-monitorado

Nos testes, os bebês eram duplamente monitorados, pelo método tradicional e pela roupa. “Cientificamente, chegamos aos mesmos resultados”, diz Zanini. “Mas o novo tratamento é menos estressante e favorece a descida do leite materno”, afirma Zanini.

Marina Padovan foi uma das mães que aceitou fazer parte da pesquisa. Ela chegou à maternidade para um parto prematuro com 32 semanas de gravidez. Seu filho nasceu com 1,340 quilos e ficou um mês e meio no hospital.

“Era difícil ver meu filho com todos aqueles tubos e fios. Pedia ajuda à enfermeira a cada amamentação”, diz ela, que, por isso, decidiu testar o protótipo da roupa inteligente. “Era melhor ter ele monitorado, mas no meu colo, sem precisar da ajuda de ninguém.”

‘Start-up’

Há dez anos, a ciência estuda diferentes aplicações desses tecidos eletrônicos. Seu uso em roupas de bebês é o mais novo passo deste tipo de tecnologia, que poderá ser usada também para monitorar idosos no futuro.

O projeto nasceu há cerca de quatro anos, como uma pequena empresa, ou “start up”, na Universidade de Milão. A Comftech hoje faz parte de um grupo seleto de oito empresas da União Europeia que integram o programa do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia, dedicado à saúde e prevenção de doenças.

Segundos dados oficiais, nascem cerca de 40 mil bebês prematuros a cada ano na Itália, o que representa cerca de 7% do total de partos. Nestes casos, a roupa oferece um tratamento mais humanizado.

No entanto, seu uso caseiro requer atenção. “Não é um instrumento genérico para dar uma falsa sensação de segurança aos pais”, alerta Zanini. “A roupa revela situações de crise e perigo, mas é necessário também ensinar a eles a como reagir numa emergência assim.”

Manter diariamente a casa aquecida pode aumentar peso

foto-imagem-casa-aquecida

De acordo com um estudo feito por cientistas holandeses, o sistema automático de calefação domiciliar, comum na Europa, pode estimular o ganho de peso, já que, nessas condições, o corpo não precisaria queimar calorias extras para manter-se aquecido.

Segundo pesquisadores do centro médico da Universidade de Maastricht, na Holanda, 19º Celsius é uma temperatura ideal e suficiente para proporcionar o equilíbrio certo ao organismo.

Alguns estudiosos argumentam que diminuir o termostato do sistema de aquecimento pode fazer com que as pessoas comecem a comer mais.

Tal ideia de perda de peso está relacionada com o balanço de energia: pessoas ganharão mais peso se ingerirem mais calorias do que conseguem queimar no dia a dia.

[adrotate banner=”2″]

Excesso de peso no Brasil é “problema de saúde pública”, diz governo

O estudo mostra que 90% das pessoas passam a maior parte do tempo em lugares fechados e, por isso, mantém os ambientes aquecidos para maior conforto. Isso faz com que o corpo não precise trabalhar para controlar sua temperatura.

Wouter van Marken Lichtenbelt, responsável pela pesquisa, explicou que, no frio ameno, a capacidade de queimar calorias aumenta em 6%. A longo prazo, pode fazer a diferença. Sem dúvida, isso pode ser uma grande ajuda, combinado com mudanças na alimentação e prática de exercícios.

Dois em cada três adultos no Reino Unido são classificados como ‘acima do peso’ ou obesos. No Brasil, mais de 50% da população já tem sobrepeso. A obesidade é um problema crescente em todo o mundo.

51% dos brasileiros está acima do peso, diz pesquisa

Michael Daly, que pesquisa o assunto na Universidade de Stirling, na Escócia, disse que se você não compensasse (a redução de temperatura) perderia peso.

— Mas não é o que acontece. Você vai querer comer uma barra de chocolate. É assim que funciona. Além disso, estudos mostram que, em baixas temperaturas e em lugares fechados, estamos mais propensos a sofrer derrames.

‘Gordinho saudável’ é um mito, diz pesquisa

Ele é responsável por uma pesquisa feita em 100 mil lares na Inglaterra. O estudo ressalta que pessoas que moram em casas aquecidas acima de 23 graus Celsius tendem a ser um pouco mais magras do que as demais. Nessa situação, o corpo precisa perder calor e a sudorese aumenta a energia.

Segundo ele, altas temperaturas reduzem o apetite e a quantidade de comida ingerida.

Você está bem de saúde? Veja 13 sinais do que a aparência diz sobre sua saúde

Uma aparência saudável e jovem muitas vezes é sinal de boa saúde. Logo, você fica tentado a culpar o envelhecimento e estresse como causadores das linhas faciais, unhas feias ou queda de cabelo quando, na verdade, essas falhas podem sinalizar problemas de saúde.

A especialista em medicina integrativa Molly M. Roberts, do Instituto de Saúde e Cura, em São Francisco, diz que esses problemas começam sussurrando, até falar, e se você não prestar atenção, eles começam a gritar. Para evitar tais problemas, o site Health listou 13 sinais físicos que podem ajudar a perceber os sinais ocultos.

Rugas

Embora as rugas sejam inevitáveis, elas também podem ser um sinal de osteoporose. Nova pesquisa revela uma associação surpreendente entre rugas e saúde dos ossos no início da menopausa. Rugas são o resultado do envelhecimento, mas a exposição excessiva à fumaça de cigarro ou sol pode acelerar o processo.

Pés inchados

Muitas condições, incluindo entorses, distensões, lesões e infecções, podem causar pés e tornozelos inchados. Gravidez, obesidade e certos medicamentos provocam retenção de líquidos nos membros inferiores. Se você é como um dos 5 milhões de americanos com insuficiência cardíaca, pode ter retenção de líquidos por causa da ação pobre do seu coração em bombear. Inchaço nas pernas, tornozelos e pés é um sintoma clássico desta condição.

Ondulações nas unhas

Se você evita manicure, porque as unhas estão uma bagunça, talvez precise ir ao médico. Unhas onduladas, deformadas ou descoloridas (amarelo-marrom) podem apontar para muitos problemas de saúde. Alterações na região são comuns em pessoas com psoríase, doença de pele crônica, artrite psoríaca; alopecia areata, um tipo de perda de cabelo desigual.

Mãos e pés grandes

Você iria se preocupar, e com razão, se um ente querido tivesse uma mandíbula saliente, uma testa proeminente ou mãos e pés desproporcionais. Todos são sinais clássicos de acromegalia, distúrbio hormonal que ocorre em adultos quando a glândula pituitária (hipófise), também responsável pelo hormônio do crescimento, tem produção elevada. Se você notar a mudança na aparência da pessoa, fique atenta a este sinal. Trata-se de uma desordem rara, porque as alterações nos ossos e tecidos moles ocorrem lentamente ao longo do tempo e muitas vezes tal fato passa despercebido.

A boca suja

Dentes sujos e gengivas não são apenas sinais de má higiene oral. Sua boca pode revelar coisas desagradáveis sobre o seu coração e ossos. Em 2010, pesquisadores escoceses relataram no British Medical Journal que a escovação dos dentes diminui o risco de doença cardíaca. As pessoas que escovaram com menos frequência tinham um risco 70% maior de doença cardíaca ou morte por doença do coração. Perda dos dentes também pode sinalizar osteoporose.

Rubor facial

Nem sempre rubor facial é sintoma de vergonha. Vermelhidão facial com lesões de acne na pele são sintomas comuns da rosácea, uma doença de pele crônica. Embora a causa exata não seja conhecida, as pessoas com o problema ficam com o rosto vermelho, causados por eritemas, que em geral começam pela região central do rosto, podendo evoluir para complicações mais grave na pele, como pústulas.

Manchas escuras na pele

Um anel escuro na pele, na parte de trás do pescoço, pode parecer que está “pedindo” uma boa esfregada. Mas, na realidade, pode ser acanthosis nigricans, uma condição na qual a pele parece mais escura e mais espessa e até mesmo aveludada ao longo dobras do corpo. Pessoas com resistência à insulina, diabetes, obesidade ou, em casos raros, com câncer, podem desenvolver essas manchas escuras. “Embora não seja um sinal definitivo de diabetes, isso pode fazer você pensar duas vezes e realizar mais exames”, diz Heather Jones, enfermeira da Oregon Health & Science University, em Portland, e membro do Dermatology Nurses Association.

Pelos no corpo

Pelos onde você não deseja é constrangedor, com certeza, mas também podem ser um sinal de problemas de saúde mais preocupante. Entre elas, está a síndrome do ovário policístico (SOP), uma causa comum de crescimento do pelos em mulheres em idade fértil, pode causar infertilidade, períodos menstruais irregulares ou ausentes. Mais de 70% das mulheres com SOP têm hirsutismo, ou o crescimento de pelos em excesso, aparecendo tipicamente na face, peito, barriga, costas, mãos ou pés.

Erupção na pele

A erupção é como uma bandeira vermelha. É a maneira de seu corpo dizer que algo não está certo. Existem vários tipos de erupções, mas uma em particular se destaca. Estende-se por ambas as faces em forma de uma borboleta e tem uma aparência tipo queimadura solar. Essa mancha é um sintoma clássico de lúpus, doença do sistema imunológico que afeta a pele, articulações, sangue e rins.

Perda de cabelo

O que você deve fazer com aquela bola de cabelo no ralo do chuveiro? Estresse, gravidez, doenças, medicamentos e alterações nos hormônios podem contribuir para a queda de cabelo. Entre as mulheres, em particular, cabelos secos e falhas podem indicar sinais de problemas na tireoide. Um simples exame de sangue pode verificar se o corpo está produzindo quantidades normais de hormônio da tireoide ou não.

Lábios rachados

Seus lábios podem dizer muito sobre sua saúde. Severamente rachados, lábios secos podem ser uma reação à medicação, um risco ocupacional (se você é um músico de metal), ou um sintoma de alergia, infecção ou outras condições. Rachaduras nos cantos da boca podem ser um sintoma de Sjogren , um distúrbio do sistema imunológico. O problema causa olhos secos e boca seca, bem como dor nas articulações e pele seca. Até 4 milhões de americanos, em sua maioria mulheres, apresentam a síndrome.

Pintas

Pintas, ou sinais na pele, podem ser sinal da presença de câncer. Procure crescimentos que são assimétricos, têm uma fronteira irregular, variam em cor, possuem um diâmetro maior que 6 milímetros, ou estão mudando e evoluindo. Melanoma é a forma mais letal de câncer de pele e pode apresentar um ou mais desses sinais. Se notar alguma alteração, deve-se passar por uma consulta médica para avaliação.

Olhos amarelos

Eles são uma janela para a sua saúde, então, quando a parte branca dos olhos torna-se amarela, há razão para suspeitar de problemas. Em adultos, pode ser um sinal de doença hepática, tais como hepatite ou cirrose. Também pode significar que os ductos biliares do fígado estão bloqueados. Qualquer pessoa com amarelecimento dos olhos deve ver seu médico para avaliação.