Estudo constata que a falta de informação dá fôlego à infecção pulmonar mais mortal no mundo – apesar de as vacinas existirem e serem eficientes