• Viver agitado e com um emaranhado de preocupações na cabeça não só prejudica o humor como faz o ponteiro da balança disparar. Por isso, dê um tempo e invista em nutrientes pró-calmaria.

    foto-imagem-cardapio-ansiedadePense em quantas vezes você desejou que o dia tivesse 48 horas para cumprir todas as tarefas e, ante a impossibilidade de esse milagre acontecer, passou o tempo todo correndo de um lado para o outro. Foram muitas, certo? Pois saiba que a tensão constante causa alterações no humor e, acredite, no peso. “A ansiedade nas alturas contribui para a produção de cortisol, um hormônio associado ao acúmulo de gordura no abdômen”, conta Fabiana Honda, nutricionista da PB Consultoria em Nutrição, na capital paulista. Uma maneira consagrada de apagar o pavio desse estresse é fazer exercícios. Mas não é a única.

    “Há estudos que apontam a relação entre certos nutrientes com uma menor agitação”, diz Ana Paula Fioreti, coordenadora do curso de nutrição da Universidade São Francisco, em Bragança Paulista, no interior do estado. Um desses trabalhos foi publicado recentemente pela Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos. Nele, os jovens que receberam suplementação de ômega-3 apresentaram uma redução de 20% nos níveis de ansiedade quando comparados a quem consumiu cápsulas inócuas. “A dieta exerce um papel importante no controle dos ânimos”, reconhece o médico Walmir Coutinho, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. “Mas nenhum alimento é mágico.” Patrícia Spada, psicanalista e doutoranda em nutrição na Universidade Federal de São Paulo, concorda: “O tratamento é multidisciplinar”.

    Ressalvas feitas, confira, abaixo, nutrientes que deixam tanto o cardápio quanto a sua mente mais equilibrados.

    foto-imagem--cardapio-contra-ansiedade-omega

    Tags: , , , , , , ,


  • Beleza em cápsulas

    Pílulas contendo nutrientes consagram-se como o mais novo fenômeno da beleza e são indicadas por médicos para atenuar rugas, melhorar o viço da pele, combater a celulite e fortalecer unhas e cabelos, entre outros efeitos.

    Nutricosméticos. Já ouviu falar disso? Não adianta buscar no dicionário.

    A rigor, a palavra não existe em português, mas tem sido empregada rotineiramente no balcão da farmácia, nos consultórios e em encontros internacionais de dermatologia para descrever o mais recente fenômeno mundial no campo da beleza. São pílulas multicoloridas que contêm uma associação de vitaminas, minerais, carotenoides e flavonoides, entre outras substâncias, com a missão de combater as carências nutricionais, a oxidação dos tecidos e estimular as funções da pele para restaurar a beleza do corpo e do rosto. “Esse conceito surgiu da necessidade de nutrir internamente a pele, o que nem sempre pode ser feito pelos cremes de forma tópica”, disse à ISTOÉ a dermatologista americana Zoe Draelos, professora de dermatologia da Universidade Duke, nos Estados Unidos. Ela é considerada uma referência mundial nesse tema. Por isso, sua palestra no último encontro da Academia Americana de Dermatologia, realizado no mês passado em San Diego, na Califórnia, estava com lotação esgotada semanas antes do evento. “Só agora estamos entendendo melhor a importância da dieta para uma pele saudável e bonita”, complementou.

    O sinal mais claro da força de atração exercida pelos nutricosméticos é sua crescente expansão no mercado mundial. Em 2010, esses artigos movimentaram US$ 2,4 bilhões, segundo o IMS Health, instituto que registra números e índices do mercado da saúde. E a previsão é de que dentro de cinco anos esse montante duplique, atingindo a marca dos US$ 4,24 bilhões em 2017, de acordo com a Global Industry Analysts, outra empresa de dados de mercado. No Brasil, os produtos pertencem à categoria dos suplementos alimentares, um setor estimado em US$ 400 milhões, segundo a Euromonitor International, empresa que acompanha a evolução do segmento. Por enquanto, os chamados cosméticos orais representam US$ 13 milhões desse volume total de vendas. “Mas há um longo caminho a ser conquistado pelos nutricosméticos no Brasil”, observa a analista Carrie Leonard, do Euromonitor International. A líder do mercado no País foi a L’Oréal, com sua marca Innéov. Neste ano, ela terá que concorrer com a Sanofi-Aventis, que adquiriu as cápsulas Oenobiol, e a Pfizer, que comprou o laboratório Ferrosan e a sua pílula Imedeen. Dados divulgados pelo IMS Health dão uma ideia de como será essa multiplicação de mercado. Segundo a agência, a estimativa de crescimento do setor por aqui é de 220% até 2015. “O Brasil é um excelente mercado”, diz Délio de Oliveira, diretor-geral da Divisão Cosmética Ativa da L’Oréal, empresa que tem centros de pesquisa voltados para a criação dessas pílulas.

    Os números são expressivos, mas a questão central é o que realmente se pode esperar desses comprimidos. Boa parte dos especialistas considera os nutricosméticos um recurso interessante. “Trata-se de um conceito de beleza de dentro para fora, que associa a boa condição da pele com a saúde”, afirma a dermatologista Mônica Aribi, de São Paulo. “É um avanço”, diz. Ela indica os produtos a uma clientela mais predisposta a aceitar novas soluções para melhorar a aparência.


    CAUTELA
    A dermatologista Mônica Aribi indica os produtos se houver carência de nutrientes

    Mas os nutricosméticos seriam, de fato, diferentes dos já bem conhecidos suplementos vitamínicos ou representam apenas uma roupinha nova para uma ideia antiga? “Em geral, eles oferecem minerais e vitaminas em uma forma química que permite a melhor absorção pelo organismo”, diz a nutricionista, farmacêutica e bioquímica Lucyanna Kalluf, do Instituto de Prevenção Personalizada, em São Paulo. “Muitas vezes, os suplementos contêm vitaminas e minerais em um formato de metabolização mais difícil, e por isso muito se perde”, complementa a especialista. Ela costuma indicar também outros minerais e fitoterápicos para complementar o tratamento. “Prefiro selecionar os nutrientes de forma mais personalizada”, explica.

    A maioria dos nutricosméticos possui em sua composição as chamadas substâncias antioxidantes. São compostos como as vitaminas A, C e E, o licopeno (presente no tomate em maior quantidade), os bioflavonoides (encontrados nas frutas cítricas e uvas escuras), as catequinas (presentes no chá-verde, e em frutas como uvas e morango, entre outras), o ácido fenólico (está no brócolis, na cenoura e nos grãos integrais) e a quercetina (nas cascas das uvas e nos vinhos). Na literatura científica, eles aparecem como recursos capazes de prevenir o envelhecimento precoce das células por meio de um mecanismo razoavelmente complexo. “Eles combatem a oxidação dos tecidos, o que leva ao envelhecimento”, resume a dermatologista Mônica Aribi.

    A oxidação é atribuída aos radicais livres, moléculas que se formam por uma reação natural do organismo ao processo de queima do oxigênio pelas células. Como são instáveis, rapidamente se associam às moléculas próximas, o que pode levar a danos em células sadias. Em 99% dos casos, o corpo repara esses estragos. Mas, se a produção de radicais livres aumentar muito, incentivada por doenças, alimentação ruim, radiação ultravioleta do sol ou fumo, entre outros agressores, fica difícil neutralizar as consequências de seu acúmulo – manchas na pele, rugas, falta de hidratação, entre outras. Aí é que entram em cena as doses adicionais de substâncias antioxidantes: “As vitaminas, minerais como o selênio e compostos como o licopeno, entre outros com funções antioxidantes, se ligam aos radicais livres, anulando sua ação”, explica Lucyanna.

    Xícara de nutrientes

    Há um ano, convencido dos poderes dos antioxidantes, Marco Collovati, 47 anos, incorporou o chá-verde ao café da manhã. “O comentário geral é que minha aparência melhorou. E eu me sinto mais disposto”, diz o cirurgião e CEO da Orangelife, empresa de biotecnologia e inovação sediada no Rio de Janeiro.

    Até agora, no entanto, ainda não são definitivos os trabalhos científicos para comprovar a ação dos produtos que contêm substâncias do gênero. “Existem estudos em ciência básica de excelente qualidade metodológica, mas há pouquíssimos trabalhos em seres humanos feitos com grupos para comparação. Isso é necessário para demonstrar a real eficácia”, diz Ediléia Bagatin, pesquisadora e especialista em cosmiatria, da Universidade Federal de São Paulo. “E é fundamental que sejam realizadas pesquisas independentes, que não sejam financiadas pelos fabricantes, evitando-se o conflito de interesses, para se chegar a alguma conclusão”, afirma.

    Além disso, os cientistas estão se deparando com desafios científicos para apurar a intensidade do desempenho desses produtos. “Ainda não temos bons métodos para avaliar a presença e a redução dos radicais livres na pele humana”, afirma a especialista Zoe Draelos.
    Para embasar suas indicações, os dermatologistas que recomendam esses produtos associam as evidências oferecidas pelos estudos disponíveis às suas observações feitas em consultório. “Há cápsulas que ajudam, por exemplo, a estabilizar a flora da pele, o que auxilia o combate à dermatite. Os efeitos são maravilhosos”, diz a dermatologista Mônica Aribi, que também aposta nos protetores solares. “São muito bons para pessoas com manchas na pele resistentes aos tratamentos, como os melasmas.” Ela adverte que tomar essas substâncias por via oral para atenuar o fotoenvelhecimento não dispensa a aplicação do filtro sobre a pele. “O filtro bloqueia a ação dos raios, o nutricosmético reduz o ataque dos radicais livres”, diz.

    Com a expansão dos nutricosméticos, cresce também entre os médicos a preocupação em alertar para aspectos que não podem ser ignorados. “Os efeitos só começam a aparecer depois de pelo menos três meses de uso regular”, esclarece a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo. Além disso, é sabido entre os especialistas que esses produtos só agem se a pessoa apresentar uma deficiência nutricional. Num padrão ideal, os antioxidantes que o organismo requer para a batalha contra os radicais livres seriam fornecidos por uma dieta equilibrada. “Mas é muito difícil obter tudo o que precisamos da alimentação”, afirma a nutricionista funcional Patrícia Davidson, do Rio de Janeiro.

    Mudança radical

    Há quatro meses, Felipe Marini, 32 anos, e a esposa, Marcella, substituíram as frituras, os enlatados e os alimentos refinados por produtos integrais, frutas e legumes frescos. “A mudança desinflamou os pontos de acne do meu rosto”, diz ele, de cara limpa. A pele de Marcella também ganhou mais vigor”, conta Felipe.

    Um erro comum no consumo desses produtos é ignorar as contra-indicações. “É essencial averiguar se o paciente é alérgico a algum alimento”, orienta a dermatologista Juliana Neiva, do Rio de Janeiro. “Há cápsulas que contêm ômega 3 e componentes tirados de frutos do mar aos quais algumas pessoas são alérgicas”, diz. Os produtos da linha Imedeen, por exemplo, trazem um composto de proteínas de origem marinha. A dermatologista Adriana Vilarinho, de São Paulo, diz que também é indispensável conhecer o perfil da saúde do paciente e saber se é diabético, por exemplo. “Há açúcares contidos no material de algumas cápsulas que podem causar alterações nas taxas de glicemia no sangue. Isso precisa ser considerado.”

    É verdade. Tomar os cosméticos orais por conta própria é uma conduta criticada por médicos e nutricionistas. “Há muitos casos de pessoas que recorrem a mais de um suplemento ao mesmo tempo porque querem tratar a celulite e o cabelo. Isso pode ter efeitos indesejados”, alerta a dermatologista Adriana Vilarinho.

    É por essa razão que nos consultórios mais estrelados de São Paulo e do Rio de Janeiro, por exemplo, a indicação de um nutricosmético passa por várias etapas. “É preciso descartar causas de queda de cabelo como doenças e carências de minerais como o ferro, que não estão presentes nessas fórmulas”, diz a dermatologista Carolina Marçon, de São Paulo. A nutricionista Lucyanna Kalluf também não dispensa exames para avaliar quais são realmente os minerais em carência. “Não se pode indicar cápsulas de nutricosméticos sem solicitar um teste de sangue para saber do que e de quanto o paciente precisa”, diz ela.

    Nova dose

    A paulistana Andrea Francesca Calabrese, 47 anos, costuma ir ao dermatologista em busca de soluções para fortalecer os cabelos. “Experimentei os cosméticos orais para cabelos gostei. Usei três meses, fiz um intervalo e agora vou usar de novo. Os fios ficam mais fortes”, diz ela.

    Esses cuidados são importantes também para evitar a ingestão excessiva de vitaminas e minerais. “Quem ingere vitamina A demais, por exemplo, por alimentação ou suplementação, pode ter sintomas como pele seca, áspera e descamativa, dores de cabeça e náuseas”, diz a especialista Lucyanna.

    Também é preciso ter em mente, quando se recorre aos nutricosméticos, que eles são parte de um tratamento mais amplo. Não realizam milagres sozinhos. Por isso, não se pode esperar que apenas uma pílula acabe com as rugas do rosto ou faça desaparecer os furinhos da celulite. “A celulite, por exemplo, é causada por diversos fatores. Quem se decide a enfrentá-la precisa também modificar diversos padrões. O nutricosmético será mais um item. Senão, não vai adiantar nada”, explica a dermatologista Carolina. No tratamento de linhas de expressão, é o mesmo processo. Os produtos não substituem o creme anti-idade. “Mas potencializam seu efeito”, afirma a farmacêutica carioca Talita Pizza, que defendeu tese de mestrado sobre os nutricosméticos na Universidade de São Paulo.

    Atentos ao interesse manifestado por esses produtos, pesquisadores da Universidade de Saint Andrews, no Reino Unido, estão aproveitando a onda para incentivar o consumo de nutrientes in natura. Recentemente, eles publicaram um estudo na revista “American Journal of Public Health” comprovando que comer mais frutas e vegetais pode mudar o tom da pele, dando-lhe mais brilho. “Nossa mais recente pesquisa constata que as melhorias na dieta produzem benefícios visíveis para a pele”, disse Ross Whitehead, autor do estudo que envolveu 35 estudantes, acompanhados por seis semanas. “As pessoas que comem mais frutas e verduras têm um tom dourado na pele que dá uma aparência mais saudável e atraente”, complementou. A grande sacada desses pesquisadores, porém, é que a vaidade pode ser um excelente motivador para melhorar a nutrição. O estudo acabou estimulando o grupo a seguir uma alimentação mais saudável.

    Pesquisa

    Na L´Oréal, há centros de estudo para criar nutricosméticos

    Ganho duplo

    O bacharel em direito Marcelo Monte, 36 anos, do Rio de Janeiro, começou a perder os cabelos na época da faculdade, no Canadá.

    Depois de muitos tratamentos, foi orientado a tomar nutricosméticos. “Tive mais de um benefício. Além de reduzir a queda e nascerem fios onde não tinha mais, minhas unhas ficaram mais fortes.

    E eu, que as roía desde a faculdade, finalmente abandonei o hábito”, conta.

     

    Opções para o corpo todo

    Confira algumas ofertas disponíveis de cosméticos orais e o que contêm. É consenso entre os médicos, porém, que os produtos não são indicados quando não há carência de nutrientes

     

    PROTEÇÃO SOLAR:

    Imedeen Tan Optimizer : Extrato de palma (precursor da vitamina A), carotenoides, licopeno, vitaminas C e E;

    Innéov Solar: Bactérias lácteas, licopeno e betacaroteno

    SUN Golden Soluction( Nutrilatina):  Betacoteno, vitamina C

    Oenobiol Solaire: Betacaroteno, licopeno, selênio, óleo de borragem

    Heliocare (Helioral no Brasil): Fernblock (extrato de planta Polypodium leucotomos), extrato de chá-verde e betacaroteno

    Observações 01: Possuem ativos para reforçar as defesas cutâneas contra os raios ultravioleta, como diminuir a perda de água da pele e combater os radicais livres. O uso de qualquer um deles não dispensa as aplicações de filtro solar

    Observações 02: Age de forma diferente. Segundo os especialistas, evita a formação de radicais livres e aumenta a tolerância da pele ao sol. Como interfere na pigmentação, tem sido indicado a pessoas com manchas resistentes no rosto (melasma) e está em teste para vitiligo. Fora do Brasil, a pílula é vendida com o nome de Heliocare.

     

    CABELOS E UNHAS:

    Eximia Temporize: Óleo de linhaça, licopeno, luteína, vitamina E

    Eximia Fortalize: Zinco, biotina, ferro, vitamina A, C e E, ácido fólico e magnésio

    Innéov Homme: Fitoesteróis de pinheiro, taurina, polifenóis extraídos de uva e polifenóis tirados de chá-verde

    Innéov  Massa Capilar: Aminoácido taurina, catequinas do chá-verde e uvas e zinco

    Innéov Nutricare: Óleo de semente de groselha negra, ômega 3 de óleo de peixe, licopeno de tomate, vitaminas C e E

    Oenobiol Magnifique: Biotina, ácido pantotênico e vitaminas A e D

    Pantogar: Pantotenato de cálcio, cistina, nitrato de tiamina, queratina, ácido aminobenzoico

    Vviscal Maximum Strength(importado): Extrato de proteína marinha, extrato de cereja, acerola (Vitamina C) e extrato de cavalinha

    Observações:
    Muitas causas podem determinar a queda de cabelos e unhas fracas. Os nutricosméticos funcionam quando os cabelos e unhas quebradiças são resultado de carência de vitaminas e minerais. Nesse caso, podem ajudar a regenerar tecidos e formar proteínas que fazem parte dessas estruturas. Exames são necessários para identificar se não há falta de ferro, mineral que não está presente nesses suplementos

     

     DERMATITES E CASPA:

    Innéov Sensicaps DS: Lactobacillus paracasei e biotina ( regulam a flora da epiderme)

    Observações:
    Usado para casos de dermatites em geral, principalmente as de origem seborreica e pruridos nas dobras de pele. Estudo clínicos do fabricante indicam redução de 70% da caspa e de 45% na coceira após dois meses de terapia.

     

     RUGAS E REJUVENESCIMENTO:

    Evelle(importado): Vitaminas C e E, zinco, selênio, sílica, proteínas marinhas, extratos de plantas com isoflavonoides, antioxidantes naturais

    Imedeen Time Perfection: Licopeno (do tomate), proteínas marinhas, extrato de semente de uva  e vitamina C

    Imedeen Radiant Complexion: Proteínas marinhas, zinco e vitamina C

    Innéov Fermeté: Licopeno (do tomate), proteína láctea, extrato de soja e vitamina C

    Inverssion Femme: Chá-verde, extrato de uva, óleo de peixe rico em ômega 3, zinco, selênio, cromo e vitamina C

    Oenobiol Magnifique: Vitaminas A, C, D, E, niacina, ácido pantotênico, B6, biotina, cobre, zinco

    Oenobiol Velouté: Ácido gama linolênico, carotenoide, vitaminas C e E

    Oenobiol Radiance: Cobre, carotenoides, ômega 3 e vitaminas C e E

    Renovee Timesoluction: Manganês, zinco e complexo B

    Renovee Antiagesolution Homme: Retinol, tocoferol, vitamina C, cromo, selênio, zinco e licopeno

    Observações: Os produtos Imedeen são contraindicados para pessoas alérgicas a crustáceos e frutos do mar. A marca oferece linhas por faixa etária ( para mulheres até 25 e após 45 anos). O Innéov Fermeté é sugerido a mulheres mais velhas por causa do fitoestrógeno( da soja) e não é recomendável para quem tem histórico familiar de câncer de mama. Todos contêm substâncias antioxidantes e nutrientes envolvidos na produção do colágeno, a proteína que dá sustentação à pele.

     

    CELULITE:

    Innéov Celulitis: Extrato de chá-verde, casca de pinheiro, glucoramina

    Renovee Cellulisolution: Cálcio, cromo, zinco, selênio, vitaminas A, C e E

    Cellu-Lipo: Cálcio, cromo, silício, vitaminas C e E, magnésio

    Observações: A celulite é um problema multifatorial. Sendo assim, o uso das pílulas deve ser encarado como mais um item de um conjunto de medidas. De modo geral, procuram combater a inflamação dos tecidos que acompanha a celulite, estimular a circulação e eliminar a gordura. Ajudam a tratar casos de celulite graus 1 e 2 (os mais leves)

    RETENÇÃO DE LÍQUIDO E EMAGRECIMENTO:

    Renovee Liposoluction: Chá-verde, extratos de guaraná e laranja-anarga, colina, magnésio, cromo, vitamina B6 e ácido fólico

    Renovee Drain Solutions: Vitamina C, complexo B e oligonutrientes

    Observações: Esses suplementos estimulam a eliminação de líquidos corporais e aumentam o número de idas ao banheiro. De modo geral, procuram estimular a circulação, o metabolismo e a eliminação da gordura.

     

    OS INGREDIENTES DA BOA FORMA:

    Conheça os nutrientes indispensáveis para ter pele, cabelos e unhas saudáveis e bonitos, segundo indicam pesquisas científicas e as suas principais fontes. São alimentos que devem estar sempre presentes à sua mesa
    PARA MELHORAR A PELE

    1 – Nutriente: Antocianidinas e resveratrol
    Ação: Antioxidante e antirradicais livres. As sementes de uva ajudam a evitar o envelhecimento precoce da pele
    Onde encontrar: Suco de uva integral e orgânico, vinho tinto, chá-verde e oleaginosas

    2 – Nutriente: Ácido Elágico
    Ação: Desintoxicante, equilibra o PH da pele, antinflamatório (acalma a cútis)
    Onde encontrar: Romã e frutas vermelhas em geral, nozes e castanhas

    3 – Nutriente: Indol 3 Carbinol
    Ação: Favorece a eliminação de toxinas
    Onde encontrar: Brócolis

    4 – Nutriente: Coenzima Q10
    Ação: Ajuda na regeneração celular
    Onde encontrar: Sardinha fresca, salmão, cápsulas

    5 – Nutriente: Selênio
    Ação: Reduz a formação de radicais livres
    Onde encontrar: Castanha do Brasil, nozes, tomate e lentinha

    6 – Nutriente: Silício
    Ação: Regenera e melhora o tônus da pele
    Onde encontrar: Broto de alfafa, beterraba, soja, aveia

    7 – Nutriente: Zinco
    Ação: Diminui o ressecamento e aumenta a resistência da pele, antiacne
    Onde encontrar: Ovo, cereais integrais, banana, castanha-do-pará, amêndoas, nozes, feijões, grão-de-bico, carnes magras

     

    PARA FICAR PROTEGIDO DO SOL

    1 – Nutriente: Polifenóis e flavonoides
    Ação: Elevam a resistência da pele aos efeitos dos raios ultravioleta
    Onde encontrar: Chá-verde, suco de uva, morango, maçã, cebola, brócolis, nozes, cacau

    2 – Nutriente: Antioxidante EGCG
    Ação: Estudos sugerem que o EGCG previne contra os danos dos raios ultravioleta e tem ação anti-inflamatória
    Onde encontrar: Chá-verde, chá-branco

     

    PARA FORTALECER AS UNHAS E MELHORAR O ASPECTO DOS CABELOS

    1 – Nutriente: Vitamina E  e ácido pantotênico
    Ação: Melhoram a viscosidade e diminuem a queda dos fios
    Onde encontrar: Gérmen de trigo, gema de ovo, abacate

    2 – Nutriente: B-Glucana (fibras)
    Ação: Diminui oleosidade e melhora a hidratação
    Onde encontrar: Aveia, feijão-branco, grãos de trigo, grão-de-bico

    PROTEÇÃO CONTRA O CÂNCER DE PELE

    1 – Nutriente: Polifenóis
    Ação: Previnem o envelhecimento precoce e protegem a integridade das estruturas da pele
    Onde encontrar: Chá-verde, brócolis, repolho e couve-flor

    2 – Nutriente: Sulaforano
    Ação: Ajuda a eliminar substâncias nocivas à integridade celular
     Onde encontrar: Brócolis, repolho e couve-flor

    PARA MELHORAR O ASPECTO DA APARÊNCIA DE MODE GERAL

    1 – Nutriente: Ômega 3
    Ação: Anti-inflamatória. Também ajuda no tratamento da acne e dermatites
    Onde encontrar: Atum, salmão, sardinha, arenque

    2 – Nutriente: NuBeta Sitosterol e Ômega 9
    Ação: Anti-inflamatória, auxilia na regeneração e melhora a hidratação
    Onde encontrar: Abacate e azeite de oliva

     

    Tags: , , , , , , ,

  • Acontece que esse gasto calórico vindo da quebra dos nutrientes — e conhecido como termogênese alimentar — não entra na equação das dietas de hoje em dia, principalmente por ter sido revelado e consolidado pela ciência somente nos últimos anos. “Percebemos que era o momento de alterar o nosso método para adaptá-lo aos conhecimentos científicos atuais”, afirma Marcelly Ferrari, editora de conteúdo do Vigilantes do Peso, no Rio de Janeiro.

    Por isso, no dia 2 de janeiro de 2012, chega ao Brasil o ProPontos, o novo sistema dessa organização. “A ideia é justamente contemplar as novidades das pesquisas sem complicar demais a vida das pessoas, inclusive a de quem passa mais tempo fora do que dentro de casa”, reforça Sônia Almeida, nutricionista-chefe do Vigilantes.

    Que fique claro: o sistema de pontos não será renegado. Ou seja, cada participante vai continuar recebendo uma cota a ser gasta diariamente e uma extra para ser torrada durante a semana naqueles momentos especiais. O que de fato muda é a forma como os pontos são atribuídos aos alimentos em geral. Isso porque, se antes eles eram mais baseados nas calorias, agora o foco está na presença e na concentração dos chamados macronutrientes: o carboidrato, a gordura e a proteína.

    Saciedade é uma palavra-chave dentro da nutrição moderna. E o Vigilantes do Peso conseguiu incluí-la no seu dicionário com aquela decisão de criar uma fórmula baseada nos macronutrientes. “As proteínas, por exemplo, dão mais trabalho para serem digeridas do que as gorduras. E isso faz com que elas tragam uma maior sensação de estômago cheio”, analisa Celso Cukier, nutrólogo do Instituto de Metabolismo e Nutrição, em São Paulo. Logo, um prato repleto de fontes proteicas culmina em menos pontos riscados da cota diária do que outro extremamente gorduroso.

    Aliás, as fibras ganharam importância na matemática dos pontos por aplacarem a fome. “Elas diminuem o ritmo de absorção da glicose, e essa desaceleração é outro fator que contribui para a saciedade”, ensina a nutricionista carioca Mariana Froes.

    Frutas à vontade!

    Uma das metas do Vigilantes do Peso foi buscar um plano que pudesse ser seguido pela vida toda. Ou, dito de outra maneira, que proporcionasse, além da diminuição da barriga, uma alimentação equilibrada. “Foi observado que os obesos geralmente têm deficiências nutricionais e hábitos alimentares muito errados”, diz Sônia Almeida.

    Para estimular a incorporação de um cardápio saudável, a esmagadora maioria das frutas — a única exceção é o abacate — e boa parte dos legumes não implicam em mais nenhum ponto. Só um detalhe: a regra vale quando esses vegetais são consumidos em sua versão natural. Um suco de laranja ou mesmo a polpa do açaí terão que ser contabilizados como uma porção de alimento qualquer.

    Esse princípio, entretanto, demanda certo cuidado. “O incentivo é realmente interessante. Mas deve haver controle, porque há uma pequena probabilidade de o participante, especialmente se ele sofrer com alguma compulsão, ingerir frutas em demasia”, ressalta Mariana Froes. E esse excesso pode, sim, terminar em barriga inflada. Apenas para pensar em uma hipótese, cada unidade de banana-da-terra dispõe de 122 calorias. E comer pencas dela diariamente sem dúvida comprometeria a queda do ponteiro da balança.

    O meio encontrado para evitar problemas dessa ordem foi criar livros e cartilhas que expliquem detalhes sobre uma alimentação balanceada (veja outros materiais de apoio do ProPontos à direita). E também disponibilizar orientadores nas reuniões para reforçar as atitudes corretas. A polêmica, aí, recai sobre o fato de essas pessoas não serem nutricionistas. “Todas elas recebem treinamento e, por terem participado do Vigilantes do Peso, sabem como ninguém as ânsias de alguém que está entrando agora no programa”, defende Marcelly Ferrari. “Porém, a ausência de um especialista dificulta o diagnóstico de doenças ou intolerâncias que devem ser consideradas em qualquer dieta”, contrapõe Cukier. No final das contas, uma coisa não elimina a outra. Aliar o recente programa do Vigilantes do Peso a consultas com profissionais de saúde é bastante válido para conquistar seus objetivos — de uma vez por todas.

    Os outros pilares do programa
    Para ser um sucesso total, ele não depende só da alimentação

    Assista às reuniões
    Um estudo do Centro de Pesquisas em Nutrição Humana, na Inglaterra, comprovou que, quando uma dieta vislumbrava encontros em grupo frequentes, a perda de peso era duas vezes maior do que um regime que somente se concentrava no prato. “O apoio de outros serve de encorajamento para aqueles momentos difíceis”, explica Susan Jebb, que assinou o trabalho.

    Mantenha-se em movimento
    A atividade física é considerada fundamental pela equipe do Vigilantes do Peso e inclusive está no programa. Explica-se: ao superar suas metas de exercício na semana, você ganha pontos extras para serem utilizados nos dias seguintes.

    Um pouco de história
    O Vigilantes do Peso surgiu na sala da casa de Jean Nidetch, no início dos anos 1960, nos Estados Unidos. Ela recebeu amigas para discutir como perder peso e daí veio a ideia de aliar uma dieta séria a reuniões frequentes. No Brasil há 34 anos, a organização instituiu o sistema de pontos por aqui em 2003.

    A cota de cada um
    Por mais que estejamos falando de um método destinado à população em geral, o total de pontos a que se tem direito no Vigilantes varia, dependendo do sexo, da idade, da altura, do peso e dos próprios objetivos. “A cota também muda de acordo com a evolução do emagrecimento da pessoa ao longo do tempo”, completa Sônia Almeida.

    coxinha

    Antes…

    283 calorias

    15 pontos – No método que vai dexar de ser usado, as calorias e o total de gorduras eram os parâmetros principais para atribuir uma pontuação às porções dos alimentos.

    … e agora

    O que mata a fome – As fibras ganharam importância por regular a digestão, o que diminui o apetite e, logo, os riscos de uma comilança desenfreada.

    A energia de cada nutriente – Enquanto 1 grama de proteína ou de carboidrato traz 4 calorias, 1 grama de gordura possui 9. Isso influencia na conta do novo sistema.

    Custo de conversão – Até 20% das calorias do carboidrato são torradas antes de o nutriente ser absorvido. No caso da gordura, são apenas 3%. Daí que o ProPontos abrange diferenças assim para ser mais preciso.

    17 pontos – Com essas novas considerações, a coxinha se torna uma escolha ainda mais pesada. Se valia 15 pontos no passado, agora… Portanto, se desejar comê-la, será preciso abdicar de outras comidas engordativas no resto do dia.

    Maça

    Antes…

    1 ponto – Uma maçã grande tem cerca de 130 calorias. Isso fazia com que, na versão anterior do programa, ela consumisse 1 ponto da cota diária permitida.

    … e agora

    Densidade energética – Um fator estimulado é apostar em opções que tenham um grande volume, mas poucas calorias, como justamente a maçã.

    Alimento pleno – Esse título é conferido aos itens que não estão lotados de sódio, gordura saturada e açúcar e, por outro lado, apresentam boas doses de fibras.

    0 ponto – Por ofertarem vitaminas e outras substâncias benéficas, as frutas não são mais pontuadas, desde que ingeridas in natura. A única exceção é o gordo abacate.

    Material básico
    Os itens abaixo são fundamentais para seguir o ProPontos

    Livros de apoio
    Eles trazem dados a respeito do programa e, mais do que isso, sobre a manutenção do peso ideal.

    Calculadora
    Quando você coloca a quantidade de gorduras, proteínas, carboidratos e fibras de uma porção de alimento, ela revela os pontos a serem descontados.

    Diário pessoal
    Permite saber quanto ainda se pode consumir, além de fornecer o histórico de seus progressos.

    Tags: , , ,

  • A pressão exercida sobre os discos da coluna pelo levantamento excessivo de peso pode danificá-los ao reduzir o fluxo de nutrientes até eles, segundo um estudo feito na Espanha.
    Eles usaram modelos computadorizados dos discos humanos e observaram os efeitos nutricionais e mecânicos da pressão exercida sobre os discos na parte inferior da coluna.

    Este tipo de pesquisa não poderia ser conduzida em seres humanos vivos.

    Estudos anteriores indicavam que 80% da população ativa sofre de dores na parte inferior das costas em algum momento da vida, mas pouco se sabe sobre o processo que degenera os discos da coluna.

    Ácido láctico

    Os especialistas dizem que um nível normal de pressão ajuda a nutrição das células

    Mas a pesquisa feita na Espanha mostra que as pressões excessivas nos discos influenciam negativamente a quantidade de glicose e ácido láctico presentes no disco.

    As células precisam de glicose, mas o excesso de ácido láctico pode ser prejudicial porque ele interrompe a nutrição e pode dar inicio ao processo degenerativo.

    A interrupção do balanço nutricional nos discos pode acarretar em doenças degenerativas.

    Um dos autores do estudo, Jerome Noailly, diz que a pesquisa mostra que os nutrientes podem ser um fator chave para as dores.

    “Se soubermos que a falta de nutrientes está envolvida na aceleração do processo degenerativo e as características de um disco degenerado interrompem a nutrição, isso leva a um aumento do número de células mortas e o tecido dos discos vai se degenerar mais e mais”, disse ele.

    “Assim, para recuperar as funções do disco degenerado, devemos combater o problema da nutrição.”

    “Isso significa restaurar o volume de água e do disco. Um disco degenerado é como uma esponja murcha que precisa voltar a seu tamanho normal”, finaliza.

    Tags: ,

  • Sozinho, produto não tem os nutrientes de que uma pessoa precisa.
    Uso da expressão nos rótulos será proibido.

    A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta terça-feira (7) uma nota alertando sobre os riscos do consumo de um produto conhecido como “ração humana”. Segundo o órgão, o consumidor é levado a acreditar que, alimentando-se apenas dessa ração, estará ingerindo todos os nutrientes de que precisa, o que não é verdade.

    O produto é usado por pessoas que procuram perder peso. Geralmente, é composto por uma mistura de cereais, farinhas e outros ingredientes variados. O consumo de tais substâncias não faz mal, mas não é suficiente para uma alimentação correta. A nota enfatiza que é necessário balancear os alimentos para evitar doenças como a anemia.

    O texto recomenda ainda que qualquer pessoa que queira fazer mudanças nos hábitos alimentares procure orientação profissional para garantir a quantidade certa de nutrientes no corpo.

    O uso do nome “ração humana” fica proibido em produtos comercializados no Brasil. A Anvisa alega que a expressão “não indica a verdadeira natureza e característica desse alimento” e, por isso, confunde o consumidor.

    Antes de incluir no rótulo ou na publicidade alegações de propriedades terapêuticas de produtos alimentícios, o fabricante precisa registrá-los na Anvisa. Testes devem conferir a segurança e a eficácia do produto em relação ao efeito prometido. Quem não cumprir as exigências fica sujeito a multas que podem chegar a R$ 1,5 milhão.

    Fonte: G1

    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,