• Segundo laboratório, fármaco age em 15 minutos, tempo inferior ao dos principais concorrentes

    O laboratório americano de biotecnologia Vivus apresentou neste mês uma nova análise de um teste clínico realizado com o Avanafil, fármaco experimental contra a impotência, que atuaria 15 minutos depois do consumo –ou seja, mais rápido que o Viagra, o Cialis e o Levitra.

    “A amplitude do Avanafil nos primeiros 15 minutos foi surpreendente”, afirma Leland Wilson, presidente do Vivus, num comunicado que detalha resultados do teste clínico de fase 3 –a última antes da autorização da FDA (Food and Drug Administration), agência de regulação de medicamentos e alimentos nos Estados Unidos.

    “Estes novos dados vêm confirmar as características do Avanafil e suas diferenças com os demais fármacos usados por via oral atualmente no mercado para tratar a impotência”, salientou Wilson.

    Fonte Planeta Médico

    Tags: , , , , , , , , ,


  • [adrotate banner=”2″]Em teste, novo medicamento contra a disfunção erétil mostrou dar resultados 15 minutos após a ingestão.

    A empresa farmacêutica Vivus anunciou ontem que sua nova droga, o avanafil, chegou a funcionar neste tempo para 72% dos pacientes de um dos grupos do experimento.

    O Viagra, medicamento mais conhecido para o tratamento da condição, leva de 30 minutos a uma hora para agir no organismo.

    O teste foi feito com 646 homens com histórico de problema de disfunção erétil nos último seis meses; 72% deles já havia tentado pelo menos um outro método para resolver o problema.

    Os pacientes passaram por um período de quatro semanas sem nenhum tratamento e foram divididos em quatro grupos para ingestão de avanafil por 12 semanas: com dosagens de 50mg, 100 mg e 200mg, ou ingerindo um placebo.

    Não houve qualquer tipo de restrição a ingestão de bebidas alcoólicas ou alimentos. O resultados mostraram que quem tentou manter relações sexuais 15 minutos após tomar o remédio teve sucesso em 67%, 69% e 72% das vezes para as dosagens de 50, 100 e 200 mg respectivamente.

    penas 29% dos pacientes tomando o placebo tiveram resultado nesse tempo.Já os pacientes ingerindo a dosagem de 200 mg tiveram ereção suficiente para manter a relação em 80% das tentativas.

    Esta é a terceira fase de testes exigidos pela FDA (Food and Drug Administration), agência que regula medicamentos e alimentos nos Estados Unidos. Em todas as dosagens, não houve grandes efeitos colaterais constatados, sendo os mais graves dor de cabeça e corrimento e congestão nasais.

    Submetido ao FDA em dezembro de 2009, o medicamento ainda precisa passar pelos testes com homens diabéticos e com aqueles que sofrem de disfunção erétil após a retirada da próstata. No total, serão 1.300 pacientes.

    Fonte Info

    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,