• Câncer, Doenças 10.12.2009

    HPV-em-concepcao-artistica-foto-virusAliado ao exame Papanicolaou, serviço oferece completa para a detecção do vírus

    Com o objetivo de complementar o Papanicolaou e gerar um diagnóstico completo, o teste “The digene HPV Test”, mais conhecido como teste de Captura Híbridaanalisa detecta se a paciente está infectada por um ou mais dos principais tipos de HPV e, por meio de alta tecnologia em biologia molecular, contribui para a detecção precoce do câncer de colo do útero.

    De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer – INCA, o vírus HPV (papilomavírus humano) é altamente infeccioso e é um dos principais precursores de câncer de colo do útero – segunda causa de morte mais frequente de câncer entre as mulheres no Brasil. Ainda, segundo a instituição, aproximadamente 80% da população feminina mundial será infectada pelo menos uma vez na vida pelo HPV.

    “Existem cerca de 150 tipos de HPV, dos quais 40 podem afetar a área genital. Para algumas mulheres, se o vírus não for detectado e tratado precocemente, células anormais podem se formar no colo do útero e evoluir para o câncer. Todos os tipos de HPV são transmitidos por meio do contato com a mucosa, como, por exemplo, através de relação sexual. Alguns deles podem causar verrugas, enquanto outros podem acarretar o câncer”, comenta o Dr. Nelson Gaburo, coordenador do laboratório de biologia molecular da DASA, laboratório que fornece o exame as suas conveniados.

    Na maioria das mulheres, a contaminação é eliminada antes que cause qualquer problema. Em algumas, no entanto, a infecção persiste. Os homens também podem adquirir o vírus e transmiti-lo, mas raramente correm o risco de que a infecção evolua para câncer. Uma vez adquirido, o vírus do HPV pode se “esconder” por meses e até anos. “Por isso, é importante fazer um teste específico, que determina se o paciente tem um ou mais tipos virais que possam evoluir para o câncer”, acrescenta Dr. Gaburo.

    O exame mais prescrito pelos médicos para verificar anormalidades celulares no colo do útero é o Papanicolaou. Porém, não é um teste especifico para o diagnóstico de HPV. O teste de Captura Híbrida, desenvolvido pela QIAGEN, especializada em soluções para as áreas de diagnóstico molecular e ciências da vida, utiliza tecnologia molecular para detectar os vírus que causam 93% dos casos de pré-câncer. O Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia (ACOG), recomenda que todas as mulheres a partir de 30 anos realizem esse exame junto com o Papanicolaou de rotina e, caso o resultado do teste de HPV juntamente com o teste citológico forem negativos por duas vezes consecutivas, é possível diminuir a freqüência do exame para no mínimo 3 anos. Segundo o Dr. Gaburo, essa é a faixa etária em que as lesões precursoras do câncer do colo do útero mais graves se desenvolvem, pois são geralmente por infecções persistentes por HPV. Abaixo dos 30 anos as infecções costumam não ser ativas por muito tempo. No entanto, o teste é indicado para todas as mulheres quando os resultados do Papanicolaou não são claros.

    Para o Dr. Sérgio Nicolau, Professor e Chefe da Disciplina de Ginecologia Oncológica do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina – Universidade Federal de São Paulo, diferente do Papanicolaou, que aponta alterações celulares causadas pelo HPV que já está atuando no organismo, o teste de Captura Híbrida proporciona a avaliação mais apurada do grau de risco de desenvolvimento da doença em mulheres acima de 30 anos.

    Fonte Planeta Médico

    Posted by luc @ 19:24

    Tags: , , , , ,

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

    Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>