Cientistas afirmam ter conseguido transformar, em laboratório, células da própria pele de pacientes em tecido de coração.