• Uncategorized 07.12.2009

    Galera, dá sim para ficar com um corpo sarado, sem fazer uso de bombas, demora um pouco, e não se iludam com o ganho rápido dos anabolizantes, por que com saúde nunca devemos brincar!!!
    O-modelo-Richeli-Murari-venceu-etapa-SP-do-Concurso-Garoto-Garota-Fitness-2009-titulo-para-mostrar-que-e-possivel-ter-musculos-e-barriga-tanquinho-sem-usar-anabolizantes-Foto-Claudia-Silveira

    Nutricionista ouviu cem praticantes de musculação em Campinas.
    Estudo indica que maioria dos que usam ergogênicos não tem orientação.

    Pesquisa realizada com cem homens maiores de 18 anos e praticantes de musculação em dez academias de Campinas, a 93 km de São Paulo, constatou que 68% deles consomem substâncias ergogênicas, aquelas que melhoram o desempenho físico. Desses homens que consomem, 10% assumiram usar anabolizantes e 9% estimulantes, como a anfetamina e efedrina.

    A pesquisa foi realizada pela nutricionista Adriana Camurça Pontes Siqueira, que defendeu tese de doutorado na Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O resultado surpreendeu a pesquisadora, que não esperava um consumo tão alto dessas substâncias. “Esperava um índice alto, mas nem tanto”, diz.

    De acordo com a pesquisa, os entrevistados passaram a consumir substâncias ergogênicas em busca de aumento da força e da agressividade, além da redução da fadiga. O problema, constatou Adriana, é que a maioria não consultou um médico ou nutricionista antes e buscou informações apenas com o professor da academia: apenas 12% consultavam nutricionistas e 3% procuraram um médico para ter orientação.

    Após as entrevistas, Adriana percebeu que os rapazes sabiam na ponta da língua os benefícios dessas substâncias, mas, de acordo com a pesquisa, não tinham conhecimento sobre os riscos.

    O modelo Richeli Murari, de 29 anos, conhece bem esta conversa. Por frequentar academias de ginástica seis dias por semana, ele costuma ouvir colegas detalhando os efeitos dos anabolizantes. “Mas eles não têm certeza sobre o mal que faz e se preocupam apenas com o risco de impotência”, detalha.

    Murari, que foi eleito Garoto Fitness 2009 na etapa paulista do concurso, usa o título e a forma física para mostrar que é possível exibir músculos e barriga tanquinho sem consumir substâncias como os anabolizantes. “Faço o tipo saudável e ouço muitos garotos com menos de 22 anos, em média, perguntando como fazer para conseguir os músculos. Tento explicar que não é rápido, que levei dez anos trabalhando nisso”, conta o jovem.

    A endocrinologista Ruth Clapauch explica que o consumo de substâncias ergogênicas nem sempre é prejudicial à saúde. O risco está em usá-las sem acompanhamento médico e em doses muito mais altas do que o indicado para o organismo.

    “As doses com recomendação médica, geralmente, são muito menores do que as doses que frequentadores de academia querem para ter resultados rápidos”, observa a médica, que é vice-presidente do Departamento de Endocrinologia Feminina e Andrologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM).

    Riscos

    Entre as consequências no uso indiscriminado de substâncias ergogênicas, a nutricionista Adriana cita sobrecarga hepática e renal, desidratação, perda de cálcio, gota, além dos efeitos gastrintestinais, como diarréia e edema abdominal. Os prejuízos podem vir tão rápidamente quanto os benefícios, dependendo da dose ingerida, orienta a endocrinologista.

    A endocrinologista Ruth Clapauch orienta frequentadores de academia a desconfiar de produtos que aparentemente são denominados de suplementos vitamínicos. “Esses produtos podem trazer várias substâncias que não são detalhadas, como os esteróides, Um rótulo não vai ser específico e dizer, por exemplo, que ‘este produto contém anabolizante’”. Mesmo sendo contra o uso, uma pessoa pode consumir os anabolizantes sem saber, achando que ingere apenas suplemento vitamínico.

    Fonte G1

    Posted by @ 10:16

    Tags: , , , , , , ,

  • One Response

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *