• AIDS, Doenças, Sexo, Tratamentos 19.08.2010

    Promissora pesquisa com o HIV consegue fazer células infectadas se autodestruírem, o que seria uma esperança de cura para as mais de 33 milhões de pessoas portadoras do vírus no mundo.

    Atualmente, os tratamentos existentes não erradicam o vírus das células hospedeiras, mas sim impedem que ele se replique e atrasam o aparecimento dos sintomas da AIDS.

    No entanto, esta nova pesquisa publicada no periódico AIDS Research & Therapy descreve uma abordagem nova para eliminar o vírus: destruir todas as células infectadas.

    O HIV se espalha pelo corpo humano quando o DNA do vírus é incorporado ao genoma do hospedeiro. Isso porque, por ser um vírus, o HIV precisa usar a estrutura das células de seu hospedeiro para se replicar. Ele se integra ao genoma humano apenas inserindo um pedaço de seu DNA que seja o suficiente para se replicar – mas não o bastante para causar instabilidade no genoma de seu hospedeiro e levar à morte programada da célula infectada.

    Basicamente, se o corpo do hospedeiro sentir algo muito estranho, ele mesmo irá auto-destruir a célula.

    As terapias atuais funcionam bloqueando essa replicação em diferentes níveis, mas não eliminam as células infectadas.

    Foi buscando uma forma justamente de eliminar estas células que os professores Abraham Loyter e Assaf Friedler, na Hebrew University, em Jerusalém, montaram uma equipe de pesquisa. O objetivo era tentar induzir um aumento da integração do DNA do HIV no genoma humano, levando à destruição da célula.

    Para isso, eles desenvolveram peptídeos (chamados de “mix”) que podem penetrar nas células infectadas e simular a atividade da integração viral. A simulação resultou em um aumento no número de moléculas do DNA do vírus integradas nas células. Isso fez com que essas entrassem no “modo pânico”, o que causou sua autodestruição.

    Apesar de resultados promissores, esta ainda é uma pesquisa preliminar. Os experimentos só foram capazes de “curar” o HIV em pequenas porções de células cultivadas em laboratório. Mesmo assim, os pesquisadores estão otimistas com a possibilidade de esses estudos levarem a uma cura definitiva.

    Fonte Info

    Posted by @ 10:25

    Tags: , , , , , , , , , ,

  • 3 Responses

    • ola, tenho que agradecer a voces pela descoberta que pode trazer vida a nos soropositivos, pois nem todos foram contagiados por querer, mas infelismente existe pessoas mas,mas Deus colocou ANJO para nos salvar, adoraria participar da pesquisa, pois quero fazer a minha parte para ajudar outras pessoas que desejam e esperam a CURA isso se for possivel, um enorme abraço e que Deus e seus mensagerios os iluminam a cada momento.

    • Ótima noticia hein… mais um avanço, e esse parece ser promissor msmo!
      Se reunissem todas essas descobertas desses últimos tres anos, a cura poderia ser alcançada mais rapidamente… Gostaria que tivesse uma estimativa de tempo para a cura, tipo em quantos anos saíria. Mas vamos ter fé que em breve teremos essa salvação que tantos necescitam!

      (Espero não ser verdade aqueles boatos que dizem que a cura já existe, porém não é divulgada por interesses financeiros…Seria muita falta de humanidade!!! Mas se for, divulgueeem!!)

      Abraços, Fiquem com Deus!

    • Olá sou paciente com linfoma de Hodking e vi outro di num site uma alemão que fez um transplante de medula óssea para tratar a leucemia e após isso ficou curado do HIV não seria uma possível cura?
      Deus abençoe

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *