• Dicas, saúde 17.06.2011

    Uma palavra que muitos acham engraçada, mas todo mundo faz: pum. Apesar de ser algo natural, decorrente da digestão, soltar gases causa embaraço e até negação. A maioria das pessoas jura até a morte que não tem esse problema, principalmente porque junto com ele costuma vir um cheiro ruim, causado pelo enxofre envolvido na fermentação de bactérias no intestino.

    Recém-nascidos (90%), homens e idosos sofrem mais com gases. Durante a menstruação da mulher, o problema também pode aumentar. Segundo a dra. Ana, os puns mais barulhentos contêm mais metano, que é um gás inodoro. Já os silenciosos têm uma maior concentração de enxofre, por isso o mau cheiro.

    Além de não segurar a vontade, é fundamental ir ao banheiro regularmente e evitar alimentos que piorem a situação. Outro remédio natural e grátis é ficar de joelhos no chão, encostar a cabeça neles e levantar o bumbum. A força da gravidade faz com que os gases subam, saiam e a dor passe.

    Algumas pessoas têm mais problema porque são ansiosas, costumam ficar com o nariz entupido e falam muito ou rápido demais. Esse é um processo chamado de “aerofagia“, em que o indivíduo engole o ar. De algum jeito, é preciso soltá-lo, seja por cima (arrotando) ou por baixo (soltado pum). Às vezes, as pessoas têm tantos gases que é possível vê-los em um exame de raio X.

    Comer muito rápido favorece a formação de puns. Já caminhar depois das refeições pode ajudar a soltá-los. Mulheres que amamentam devem controlar a alimentação (evitando repolho, couve, chocolate e refrigerante, além de deixar o feijão de molho antes de cozinhá-lo) para não provocar cólicas nos bebês.

    Em voos de avião, a situação costuma se intensificar, por causa da maior altitude e da menor pressão atmosférica. As aeronaves têm até um filtro de ar especial para conter o mau cheiro e doenças infecto-contagiosas no ambiente. Outra parte do que é liberado vai para o meio externo, através de uma válvula próximo à turbina.

    Sob pressão, as cavidades internas do corpo, o estômago e o intestino ficam menores e mais apertados. Os vasos sanguíneos se tornam mais estreitos e o corpo incha. Por isso, em viagens de avião as pessoas costumam comer menos, já que cabe menos alimentos. E quem toma refrigerante ou água com gás a bordo pode se sentir ainda pior. Segundo a dra. Ana, nessa pressurização, a digestão, o fluxo sanguíneo e até as defesas do corpo também diminuem.

    Comer fibras (uma espécie de açúcar) contribui para a digestão, e as frutas são ótimas fontes. A maçã, por exemplo, carrega na casca as chamadas fibras insolúveis (linhas paralelas formadas ao redor dela), que não são quebradas pelo organismo, absorvem água e gordura e ajudam o intestino a funcionar.

    As fibras solúveis regulam as bactérias da flora intestinal, diminuem a velocidade de esvaziamento do estômago (aumentando a saciedade) e previnem doenças intestinais. Já as insolúveis facilitam o trabalho do intestino e aumentam o volume de fezes.

    tabela com alimentos ricos em fibras:

    Fonte:G1

    Posted by @ 11:18

    Tags: ,

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *