• Aparelhos, Dicas, Ultrassom 01.02.2012

    Um estudo com ratos, publicado na revista científica Reproductive Biology and Endocrinology, mostrou que as ondas de ultrassom podem ser usadas para reduzir a contagem de esperma a níveis considerados inférteis em humanos.

    Os cientistas descrevem o ultrassom como um “candidato promissor” como contraceptivo, mas novos testes ainda serão necessários para garantir que o método é seguro e que o efeito é reversível.

    O conceito de usar as ondas sonoras para reduzir a fertilidade masculina surgiu nos anos 70, mas agora está sendo explorado a fundo por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, que receberam financiamento da Fundação Bill & Melinda Gates.

    ‘Água salgada’

    O mais recente estudo descobriu que duas aplicações de 15 minutos “reduzem significativamente” o número de células produtoras de esperma e a contagem de esperma.

    As sessões se mostraram mais eficazes quando realizadas com um intervalo de dois dias e através de água morna salgada.

    Em humanos, segundo os pesquisadores, homens são considerados subférteis quando sua contagem de esperma fica abaixo dos 15 milhões/ml. A contagem de esperma nos ratos ficou abaixo de 10 milhões/ml.

    “Ainda precisamos de mais estudos para determinar por quanto tempo dura o efeito contraceptivo e se é seguro utilizá-lo múltiplas vezes”, disse o líder da pesquisa James Tsuruta.

    A equipe também precisa garantir que o efeito do ultrassom será totalmente reversível, podendo ser usado com contraceptivo e não como esterilização, além de analisar se pode haver danos cumulativos com a repetição das aplicações.

    “A ideia é boa, mas ainda é necessário muito trabalho”, disse o professor de andrologia da Universidade de Sheffield, na Grã-Bretanha, Allan Pacey.
    Segundo ele, é provável que a produção de esperma volte ao normal após as aplicações, mas “os espermatozóides podem ficar danificados e qualquer bebê que venha deles pode ter problemas”.

    A última coisa que queremos é um dano prolongado ao esperma.”

    Posted by @ 12:16

    Tags: ,

  • Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *